in

Planejamento: a essência para um confinamento rentável

Tiago Zarpelon, líder de bovinos de corte da Cargill Nutrição Animal fala sobre o tema

Mesmo diante de um cenário desafiador, o Brasil atende às exigências de mercados internos e externos. Segundo a Scot Consultoria, no cenário atual, o país tem mais de 5 milhões de bovinos confinados e, de acordo com projeções, esse número tem grande chance de aumentar ainda mais.

No contraponto dos altos preços dos insumos, também temos um momento com arroba firme, e uma demanda crescente mundial, com elevação nos preços internacionais. E dessa forma, Tiago Zarpelon, líder de bovinos de corte da Cargill Nutrição Animal afirma que se houver um bom planejamento, mesmo com desafios, este pode ser um negócio rentável.

Momento oportuno para quem se preparou

Para confinamentos que se planejaram com antecedência, e estão estruturados para receber os animais, o momento é muito oportuno para bons negócios. Afinal, a alta demanda por parcerias e boiteis, vem de encontro com a dificuldade do pequeno produtor de negociar matéria prima, e se tornar mais competitivo na venda do boi gordo.

“Somos apoiadores do Confina Brasil, o que nos permite levar mais informações como benchmarking de índices produtivos, mapeamento de mercado, preços de insumos, boas práticas de manejo e tecnologias, através dos nossos times de campo. Com isso, conseguimos ajudar o produtor a ter uma melhor tomada de decisão em seu negócio”, explica Tiago.

Mitigando os desafios

Mesmo em épocas de altas de preços, desafios para confinar e terminar o lote no confinamento, com diferenças de preço entre o boi gordo e o magro que chegam a ser desfavoráveis, a melhor forma de agir é investindo em uma estratégia nutricional para a melhorar a performance. Segundo Tiago, essa é uma ferramenta fundamental para reduzir o custo da arroba produzida, equalizar a conta e gerar resultado econômico. Deixar de investir em tecnologia pode causar ainda mais impactos, levando a produção no caminho contrário e mais próximo de resultados não favoráveis.

“Não existe receita de bolo, sempre é necessário fazer uma análise da realidade do produtor, onde a rentabilidade do negócio deve ser o principal objetivo, desde que consiga ser operacionalizado. É simplesmente uma questão de fazer conta”, aconselha.

Pessoas no centro de tudo

Para a Cargill Nutrição Animal, as pessoas são consideradas o ponto chave do atendimento, por isso, oferece aos produtores suporte de diversas formas através de acompanhamento de especialistas treinados que acompanham desde o planejamento, até a execução no dia a dia do confinamento. Além disso, são oferecidas tecnologias, por meio de softwares exclusivos como o BeefMax, que formula a dieta, buscando não apenas a melhor performance, ou o menor custo, mas sim o melhor retorno da operação, como também simuladores de cenário como o 4M. Ferramentas de gestão de rotina, como Sigmabeef, Forecast e BI Probeef e todas as análises de dados, pesquisa e desenvolvimento de todas as soluções, que são baseadas e validadas de forma científica em centros e universidades com credibilidade.

Como orientação final, Tiago comenta que o produtor que ainda não realizou o confinamento, vale a pena investir nesse negócio, principalmente se busca um saldo positivo. O importante é não subestimar a complexidade do negócio: “confinamento é uma estratégia rentável desde que se faça um planejamento estruturado de pessoas, estrutura física, sustentabilidade, bem-estar animal, fluxo de caixa e análise de mercado”.


CONFIRA:

Tecnologia e gestão são caminhos para estar entre os melhores da suinocultura

Feed&Food te dá 10% de desconto para participar do 13º SBSS

Quer garantir 10% de desconto na compra do seu ingresso para o SBSS? Adicione a sua compra o cupom FEEDFOOD10 (desconto é válido para uma compra por CPF). Acesse e adquira: https://nucleovet.com.br/

CARGILL

USDA informa primeira ocorrência de PSA nas Américas

Brasil participa da Pré-Cúpula dos Sistemas Alimentares