Patrocinado
MERCADO

Conteúdo

Associação defende fiscais agropecuários

Associação defende fiscais agropecuários. Anffa Sindical se posiciona sobre nota divulgada pela Abrafrigo
feedfood
Anffa Sindical se posiciona sobre nota divulgada pela Abrafrigo

Após a Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo) ter se posicionado publicamente contra a ação de um fiscal federal agropecuário, que interrompeu o abate no Frigorífico Big Boi em Maringá (PR), o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais Federais Agropecuários (Anffa Sindical) informa que os auditores fiscais federais agropecuários cumprem rigorosamente a legislação no exercício de suas funções. A assertiva vale tanto para a legislação específica de sua área de atuação como para a trabalhista.

“No caso específico, a empresa mencionada apresenta problemas técnicos que atrasam e suspendem o abatimento animal, obrigando o profissional que atua na planta frigorífica estender seu trabalho para além da sua jornada de 8 horas diárias, o que não é autorizado pelo Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA). Para superar as falhas técnicas da empresa, o auditor precisaria trabalhar além da sua jornada sem o pagamento de horas extras. É importante salientar que a empresa está autorizada pelo Mapa a trabalhar apenas em um turno. Se ela tem condições de abater animais em mais de um turno é responsabilidade do Ministério garantir profissionais que cumpram com essa demanda. É notória e conhecida, inclusive pelo próprio Ministério, a defasagem de Affas, que em 20 anos reduziu em 40% o número de profissionais, enquanto o Valor Bruto de Produção do setor agrícola cresceu 123%”, divulga a nota da Anffa Sindical.

A entidade representativa ainda lembra que recentemente o ministério contratou um pequeno número de novos Affas, insuficiente para a demanda do setor. “São profissionais altamente qualificados, aprovados em concurso público. Porém há diversas interpretações de normas adotadas pelo Ministério que não estão manualizadas e se encontram dispersas em respostas a questionamentos feitos por profissionais através do Sistema Eletrônico de Informações (SEI)”, consta no comunicado.

Patrocinado

O sindicato garante que tem alertado ao ministério sobre a urgência da realização de treinamento e sobre a necessidade de promover cursos de atualização e capacitação dos profissionais que já atuam no setor para evitar desgastes que levem ao enfraquecimento do setor agropecuário e coloquem em risco a segurança alimentar de quem consume os produtos brasileiros.

Fonte: Anffa Sindical, adaptado pela equipe feed&food.