Pesquisar
Close this search box.
Patrocinado
MERCADO

Conteúdo

Missão busca fortalecer laços no Japão e Coreia do Sul

ABPA acompanhará agenda do MAPA para informar sobre biosseguridade brasileira
feedfood

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), por meio do seu presidente, Ricardo Santin, e do diretor de Mercados, Luís Rua, iniciou uma missão empresarial por dois mercados estratégicos para as exportações da avicultura e da suinocultura do Brasil na Ásia.

A programação começou nesta segunda-feira (24), com reuniões junto a importadores sul-coreanos, na Embaixada do Brasil em Seul. Na terça-feira (25), a ABPA realizará um seminário para stakeholders, autoridades sanitárias e importadores da Coreia do Sul, em parceria com a Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec) e da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil). 

Na ocasião, estarão presentes o ministro da Agricultura, Carlos Fávaro; representantes da equipe ministerial; a embaixadora do Brasil em Seul, Márcia Donner Abreu; membros da Embaixada; do Ministério das Relações Exteriores; além de uma comitiva de representantes de agroindústrias do Brasil.

Durante o evento – que contará com o apoio da coordenadora de marketing e promoção comercial da ABPA, Nayara Dalmolin – serão apresentadas as estratégias brasileiras para a preservação do status sanitário do País. 

Também serão destacados os diferenciais que fazem do Brasil o principal fornecedor internacional de carne de frango para o mercado sul-coreano, além de um potencial parceiro para incremento no abastecimento de carne suína. Mais de 60 representantes do país asiático são esperados no evento.

Na programação, estão previstas reuniões com importadores e outras representações com influência direta no consumo e importações de produtos para a Coreia do Sul, que é um dos cinco principais importadores de carne suína do mundo – e o Brasil ainda tem participação tímida nos volumes importados pelos sul-coreanos. 

“O possível reconhecimento dos estados do Acre, Paraná e Rio Grande do Sul como livres de febre aftosa sem vacinação, que está sendo negociado entre os países, pode ser um importante impulso para o incremento da parceria estratégica entre os dois países”, menciona o diretor de mercados da ABPA.

No primeiro semestre, a Coreia do Sul importou 98,8 mil toneladas de carne de frango e 5 mil toneladas de carne suína do Brasil.  Somadas, as exportações dos dois produtos geraram quase US$ 230 milhões em receita apenas nos seis primeiros meses de 2023.

A próxima etapa da missão será a partir da quinta-feira (27), em Tóquio, no Japão. Lá, um novo seminário sobre a biosseguridade do setor de proteína animal do Brasil vai abranger as oportunidades de abertura e ampliação de regiões reconhecidas como livres de aftosa sem vacinação. Mais de 150 representações japonesas foram confirmadas no evento.

Na ocasião, Santin e Rua reforçarão os esforços brasileiros para a construção de uma solução que destrave as suspensões aplicadas pelas autoridades japonesas ao comércio de produtos avícolas de Santa Catarina e Espírito Santo para o Japão. 

Recentemente, as importações dos Estados foram temporariamente suspensas após registro de caso de Influenza Aviária de Alta Patogenicidade em aves de fundo de quintal – decisão que contraria as recomendações estabelecidas pela Organização Mundial de Saúde Animal. A agenda na capital japonesa contará, ainda, com diversos encontros com representações de importadores e outras representações locais.

“Como setor privado, apresentaremos explicações aos importadores e representações institucionais sobre a biosseguridade brasileira, reforçando nosso compromisso com a biosseguridade e o apoio à segurança alimentar para a população japonesa. Vamos apoiar o governo brasileiro para o restabelecimento do fluxo normal de exportações para o Japão no menor prazo possível”, ressalta Santin.

Entre carne de frango e carne suína, o país asiático importou 238 mil toneladas de carnes, gerando cerca de US$ 490 milhões em receita apenas no primeiro semestre deste ano.  É o segundo principal destino em carne de frango, e figura entre os 20 maiores destinos da carne suína do Brasil. O País também é o principal importador de ovos do Brasil, com 6,9 mil toneladas importadas entre janeiro e junho deste ano.

Fonte: ABPA, adaptado pela equipe FeedFood.

LEIA TAMBÉM:

Unifrango encerra programação com balanço positivo  Hugo Bongiorno fala sobre sucesso da décima edição 

Exportação de genética avícola cresce 95% 

Genética contribui para o aumento do valor total da carcaça suína 

Patrocinado
Patrocinado