in

Embrapa transforma projeto em programa extensivo

O programa será orientado pela Fundação de Apoio à Pesquisa e ao Desenvolvimento (Faped)

Sindirações- cursos On-line
Reprodução

A fim de levar conhecimento contínuo para o setor pecuário, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) em Tocantins, disponibiliza para os Estados vizinhos projetos para o aprendizado dos interessados. Agora, entrará nessa lista o programa ABC Corte.

De acordo com a Embrapa: “Mais do que apenas uma alteração em sua identificação, a proposta é que agora esses trabalhos tenham um caráter mais permanente e, a cada safra, continuem colaborando para o avanço da pecuária de corte sustentável em sua região de atuação”.

Sob a coordenação do Zootecnista, Pedro Alcântara, da Embrapa Pesca e Aquicultura, as unidades que levam seu nome atuam na área de pesquisas e outros trabalhos na parte de sistemas agrícolas da região Centro-Norte do País, incluindo o Matopiba – região que engloba o Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia.

O programa ABC Corte iniciará suas atividades com a realização do curso sobre produção intensiva sustentável de bovinos de corte. Agendada para o período de 16 de fevereiro deste ano e 31 de julho de 2023. A especialização terá vários módulos e capacitará seus participantes em diferentes tecnologias e temas.

O período de pré-inscrição vai dos dias 26 de janeiro a 8 de fevereiro. Podem participar profissionais das Ciências Agrárias (como engenheiros agrônomos, médicos veterinários, zootecnistas e técnicos agrícolas) que sejam ligados a instituições ou empresas de consultoria, assistência técnica e extensão rural, tanto públicas como privadas.

Segundo a Empresa Brasileira, “a adesão ao programa acontecerá a cada ano, será coordenada pela Embrapa e operacionalizada pela Fundação de Apoio à Pesquisa e ao Desenvolvimento (Faped). Os participantes de um ano poderão se inscrever no ano seguinte, se assim desejarem”.

Teoria e prática

Durante a especialização, os participantes estarão envolvidos na metodologia ABC Corte, que envolve diagnósticos, planejamentos e avaliações de sistemas produtivos. 

A metodologia, tem aderência com o Plano ABC, política pública nacional que divulga e incentiva uma agricultura com baixa emissão de carbono.

Os participantes terão como obrigação a implantação de ao menos uma Unidade de Referência Tecnológica (URT). É uma área, em propriedade rural participante do programa, onde são aplicadas e acompanhadas tecnologias sustentáveis adaptadas às condições locais. O espaço funciona como vitrine de tecnologias no campo e como referência para que propriedades rurais próximas, para que, também apliquem tais tecnologias.

Como parte do programa, os participantes do ABC Corte acompanham dois eventos anuais de atualização tecnológica. A programação desses eventos é construída a partir das demandas reais dos participantes e segue as diretrizes da coordenação. 

Dessa maneira, aliando teoria e prática, o ABC Corte vai colaborar com a evolução da pecuária de corte do Tocantins, do Sudeste paraense e do Nordeste mato-grossense, regiões em que está presente.

Para saber mais informações sobre a inscrição, acesse o site, clicando aqui.

Fonte: A.I, adaptado pela equipe feed&food.

LEIA TAMBÉM:

Suinocultura deve encerrar ano com bons números

Avicultura se mostra robusta em produção, exportação e consumo

FAESP comemora fim de embargo chinês à carne bovina

CONBRASUL rodrigo galli

Evonik pauta gestão de dados para melhorar desempenho

COE da pecuária de corte apresenta aumento