in

Ceva pauta competitividade da suinocultura nacional

Portfólio de 2022 elaborado pela empresa levará em conta anseios do mercado

Foto: reprodução

A suinocultura brasileira passou por um crescimento exponencial no ano de 2021, batendo recordes na produção e comercialização para o mercado interno e externo. Atendendo aos anseios do consumidor, a proteína suína tem sido cada vez mais presente nas refeições diárias e nas casas dos brasileiros.

Este crescimento tão significativo do setor contou com a evolução de processos que ocorreram nas granjas nos últimos meses, e a Ceva Saúde Animal teve um papel importantíssimo. Parceira do campo, a empresa tem um sólido relacionamento com os produtores, através da prestação de serviços que amparam os suinocultores no monitoramento de doenças na granja, e atuando na geração de impactos positivos na saúde e bem-estar dos animais com a qualidade e segurança dos produtos com o selo Ceva.

Para agregar valor ao mercado, a companhia conta com um verdadeiro leque de soluções para qualquer que seja o desafio enfrentado no campo. Investindo constantemente no desenvolvimento de produtos que facilitam a rotina nas granjas, a empresa ampliou o seu portfólio em 2021 e inovou no mercado trazendo Forceris®, primeira e única associação injetável de toltrazuril e gleptoferron, que além de ser mais segura para o leitão, reduziu consideravelmente o tempo de manipulação dos animais e contribuiu para a otimização dos recursos no campo.

“O marco de 2021 foi a otimização dos processos da granja, que reduziram os gastos do produtor com mão-de-obra, sem perder o foco na saúde e bem-estar dos animais. Esse é o primeiro passo para uma suinocultura mais moderna, rentável e mais competitiva”, conta a gerente de linha da Unidade de Suínos da Ceva, Marina Moreno.

Sempre atenta às necessidades do produtor, a Ceva Saúde Animal promete fazer de 2022 um ano excepcional para a aceleração das inovações que envolvem a criação de suínos.

“A Unidade de Suínos da Ceva é a que mais cresce mundialmente. Temos uma equipe voltada exclusivamente à pesquisa e desenvolvimento para que mais inovações ocorram na suinocultura e que estejam alinhadas ao bem-estar animal, uso racional de antibióticos, melhor alocação de mão-de-obra no sistema produtivo e utilização de tecnologias. Entendemos os anseios do mercado e queremos contribuir para a evolução do setor”, afirma Marina.

Em 2022 a companhia promete ampliar seu portfólio e acelerar a inovação com foco em suínos.  E não se trata apenas de lançamentos singulares, mas, sim, um amplo projeto que promete revolucionar a suinocultura brasileira por meio de produtos, serviços e equipamentos.

Fonte: A.I, adaptado pela equipe feed&food.

LEIA TAMBÉM:

Suinocultura deve encerrar ano com bons números

Avicultura se mostra robusta em produção, exportação e consumo

FAESP comemora fim de embargo chinês à carne bovina

Sula Alves-

Diretora da ABPA é reconhecida por trabalhos realizados em 2021

Presidente do Sindicarne tem boas expectativas para 2022