Pesquisar
Close this search box.
Patrocinado
AVICULTURA

Conteúdo

SC reforça medidas contra Influenza Aviária

feedfood
avicultura

Em decorrência da notificação de casos de Influenza Aviária na América do Norte e países da América do Sul, como Peru e Venezuela, Estado de Santa Catarina anuncia reforço às medidas de prevenção. Nesta segunda-feira (05), Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural e Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) mobilizaram a iniciativa privada para orientar produtores rurais.

 “A Influenza Aviária traz muita preocupação para Santa Catarina e, também, para todo o País, uma vez que a doença pode colocar em risco toda a nossa produção comercial de aves. O governo do Estado e iniciativa privada estão trabalhando em conjunto para reforçar a biosseguridade nas propriedades, o controle nos acessos e os planos de contingência”, afirma o secretário da Agricultura, Ricardo Miotto.

Ainda segundo ele, será preciso “estabelecer uma comunicação clara e assertiva, não só com os produtores, mas com toda a sociedade catarinense”, para assim “evitar que o vírus circule em nosso País”.

Entre as medidas estão uma série de áudios que serão compartilhados com agricultores, principalmente àqueles que possuem aves de subsistência, com orientações sobre o que é a Influenza Aviária, como preservar a saúde dos animais e o que fazer em caso de suspeita da doença.

Neste cenário, a grande preocupação é com as aves migratórias, que podem se tornar vetor da doença. Por isso, a principal medida a ser tomada por todos aqueles que criam aves, como também pondera a campanha, é evitar o contato com outros animais, especialmente aves silvestres ou de vida livre, além de restringir o acesso de visitantes aos aviários. Em caso de funcionários, eles devem utilizar roupas exclusivas para ingressar no aviário. E os veículos devem ser limpos e desinfetados antes da entrada e na saída dos estabelecimentos.

Vale ressaltar que a Influenza Aviária nunca foi detectada no Brasil, contudo, a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) emitiu um comunicado de alerta ao setor e atualizou o protocolo de biosseguridade. Clique aqui para acessar o material completo.

Fonte: A.I, adaptado pela equipe Feed&Food. 

LEIA TAMBÉM:

Indicador de Preços da Tilápia chega em nova região

Copa do mundo: 70% do frango consumido no Catar é brasileiro

Exportações brasileiras de milho seguem em ritmo intenso

Patrocinado
Patrocinado