in

Safeeds destaca programa de aditivos para suínos

Empresa está entre as companhias que participam da 12ª edição do SBSS

Empresa está entre as companhias que participam da 12ª edição do SBSS

Com previsão de crescimento de cerca de 20% nas exportações de suínos previstas para o segundo semestre, em virtude da disseminação da Peste Suína Africana na China, o Brasil deverá se tornar cada vez mais forte e se preparar para atender com eficiência as demandas mundiais.

E é para promover o crescimento do setor por meio do emprego de tecnologias na produção de suínos, que a Safeeds aditivos para nutrição animal estará presente na 12ª edição do Simpósio Brasil Sul de Suinocultura, que acontece entre 6 a 8 de agosto em Chapecó (SP).

A equipe técnica da Safeeds estará auxiliando e orientando o público com informações e conhecimento técnico sobre os benefícios dos seus produtos na produção de suínos e em especial divulgando o programa ProSafe, que contempla soluções para Controle de Salmonella; melhora da digestibilidade; hidratação; controle de micotoxinas; melhora do consumo de alimentos e conservação de alimentos e matérias primas.

“Peças-chaves para o processo de desenvolvimento de rações e premixes, os alimentos cada vez mais requerem qualidade e eficiência. Por isso, desenvolvemos o Programa de Consumo de Alimentos com palatabilizantes e aromas, que melhoram o consumo da ração e contribuem para o melhor desempenho”, explica o gerente de mercado de suínos Anderson Garla.

Outro Programa a ser destacado é o de Controle de Salmonella, já validado em várias integradoras a fim de monitorar os possíveis problemas no processo de produção e que une diferentes pontos de controle para garantir a segurança alimentar maximizando a performance e o melhor desempenho dos animais.

“A Safeeds dispõe de ferramentas estratégicas que vão além dos produtos, mas investimentos em soluções que ajudam o cliente avaliando todos os pontos e implantando um programa que garanta a segurança em toda a cadeia, monitorando e corrigindo pontos falhos no processo produtivo”, explica o veterinário.

“Este ano o SBSS será muito importante para troca de informações e para o Brasil continuar produzindo e exportando com foco na saúde dos animais e com novas tecnologias e aprimoramento de técnicas para aumentar cada vez mais a produtividade do setor”, reforça Anderson.

Mais informações pelo site do Nucleovet.

Fonte: A.I, adaptado pela equipe feed&food.

Elanco fomenta uso responsável de antimicrobianos

Ourofino leva Safesui Circovírus para o SBSS