in

Reutilização sustentável de dejetos ganha espaço na suinocultura

Dentro do setor, mudança fomenta produção de adubo e energia

Foto: reprodução

Atenta ao desenvolvimento sustentável da suinocultura nacional, BRF incentiva a reutilização de dejetos para produção de energia e adubos. A ação, com produtores integrados, tem como foco impulsionar o setor.

Como explica o Diretor de Agropecuária da BRF, Vilto Meurer, o processo de criação de suínos gera dejetos que necessitam ser corretamente tratados e destinados para não contaminar o solo. “Na BRF, fomentamos o manejo de dejetos de forma eficiente, segura e produtiva, a fim de reaproveitarmos o insumo para gerar energia e posteriormente aplicá-lo como fertilizante orgânico em lavouras tradicionais, como milho, soja e algodão, áreas de reflorestamento e em pastagens para o gado e melhor produção de forrageiras”, destaca.

Entre os benefícios apresentados pela iniciativa, foram constatados pela empresa a geração de energia a um baixo custo, a redução de gastos com a compra de fertilizantes e a diminuição da necessidade de área agrícola para a aplicação de dejetos. 

Na prática!

Como exemplo prático, na unidade de Lucas do Rio Verde (MT), a BRF conta com um produtor integrado que faz uso da ação. Localizada em Tapurah, cidade reconhecida como a capital da suinocultura do Estado do Mato Grosso, a fazenda Seis Amigos, produtora de leitões, feno e bovinos de corte, é reconhecida pelo aproveitamento sustentável dos dejetos de suínos da produção por meio da utilização de biogás.        

Os dejetos dos suínos são tratados em biodigestores que geram o biogás, utilizado na geração de energia elétrica, movendo os motores estacionários na distribuição dos dejetos líquidos que são destinados à fertirrigação da pastagem para a alimentação dos animais da propriedade e produção de feno.  

“A partir da energia gerada por esse sistema, conseguimos agregar valor a diversas outras atividades aqui da fazenda, como a pecuária, em um ciclo produtivo eficaz e autossustentável. Temos um compromisso forte com o meio ambiente e a sustentabilidade”, explica o Gerente da área de Suínos da fazenda Seis Amigos, Rafael Ottonelli.

Segundo Ottonelli, os dejetos de suínos são capazes de gerar mais de 5 milhões de kW/ano por meio da utilização do biogás oriundos dos 18 biodigestores instalados na fazenda. A propriedade conta atualmente com um plantel de mais de 13 mil matrizes, com uma produção efetiva estimada em de 370 mil leitões. 

A Fazenda Seis Amigos também produz energia elétrica por meio do sistema fotovoltaico. A propriedade possui uma planta com mais de 1.700 painéis solares que produzem mais de 1.200.000 kWh/ano.  “Com a produção em paralelo ao sistema fotovoltaico, somada à geração através dos motores geradores, a fazenda é autossustentável na questão energética, utilizando tecnologias de produção limpa e renovável”, aponta o sócio-proprietário e atual gestor da fazenda, Evandro Martimiano.

Vale ressaltar que todos os produtores integrados da BRF possuem licença para esse tipo de operação, que é validada pelos órgãos fiscalizadores da Secretaria do Estado do Meio Ambiente (SEMA) e as Secretarias de Agricultura de Meio Ambiente (SAMA) das prefeituras dos municípios onde estão alocados os integrados. 

Fonte: BRF, adaptado pela equipe feed&food. 

LEIA TAMBÉM:

MAPA aponta dicas para compra de pescados

Agro brasileiro amplia exportações durante mês de março

13⁰ Simpósio Técnico da ACAV anuncia nova data

SIAVS abordará status sanitário global da suinocultura

De Heus reforça time de Aquacultura no Brasil