in

Mais de 1,5 mil pessoas se inscreveram para o SBSS

13º edição do Simpósio teve início nesta terça-feira (10) e segue até a próxima quinta-feira (12)

Com mais de 1,5 mil inscrições, 13º Simpósio Brasil Sul de Suinocultura (SBSS) e a 12ª Brasil Sul Pig Fair virtual  teve inicio nesta terça-feira (10). O evento que acontece 12 de agosto, de modo virtual, é promovido pelo Núcleo Oeste de Médicos Veterinários e Zootecnistas (Nucleovet).

O presidente do Nucleovet, Luiz Carlos Giongo, destacou a relevância da informação científica de qualidade para a geração de conhecimento que, bem aplicado, transforma os negócios. Nesse sentido, o Simpósio de Suinocultura contribui com os profissionais. Profissional frisou, ainda, que a comissão científica estruturou uma ampla programação com temas atuais e que fazem parte do dia a dia dos negócios.

Ao todo, a programação do evento é composta por 11 palestras distribuídas nas três tardes do Simpósio, que abordam os temas tendências de futuro, biosseguridade, uso prudente de antimicrobianos, nutrição e sanidade. Além disso, os eventos paralelos também trazem informações ao longo dos três dias do evento.

 Homenagens na abertura

Tradição do mercado suinícola, o SBSS está em sua 13ª edição, comandado pelo o Nucleovet que completa 50 anos em outubro próximo. O compromisso com a informação e a ciência foi ressaltado pelos presentes.

A vice-governadora Daniela Reinehr, parabenizou o Nucleovet que completa 50 anos em outubro próximo e enfatizou a importância do SBSS para proporcionar conhecimento, tecnologia e inovação, aspectos que tornaram o estado referência em produção. “Foi assim que crescemos e chegamos aos mercados mais competitivos do mundo. O agronegócio e a suinocultura estão mantendo o País de pé. Temos uma série de desafios, mas o setor se reinventa e busca alternativas para continuar se desenvolvendo”.

O secretário de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural, Altair Silva, sublinhou que o momento atual é ímpar, devido aos desafios sanitários que se apresentam com os surtos de Peste Suína Africana. “Santa Catarina reforçou o trabalho de prevenção e controle. O Estado é o maior exportador brasileiro e precisa manter a sanidade. Somente em julho, o faturamento com as exportações foi de R$ 142 milhões, 52,6% a mais que no mesmo mês de 2020”, disse, ao acrescentar que o SBSS é um evento importante para a economia catarinense e brasileira.

O presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Ricardo Santin, salientou o importante papel do Nucleovet para o aperfeiçoamento dos profissionais envolvidos na cadeia produtiva. “O Brasil é o quarto maior exportador de carne suína, chegamos em 93 mercados e neste ano devemos chegar a 4,7 milhões de toneladas, com mais de 1,2 milhão exportadas”, ressaltou. De acordo com Santin, há dois principais desafios atuais, o custo de produção e a sanidade. “Precisamos manter a sanidade para conquistar novos mercados e para isso precisamos dos médicos veterinários e zootecnistas”, grifou.

O prefeito de Chapecó, João Rodrigues, ressalvou que o crescimento do agronegócio é exponencial. “Isso se deve à qualidade da produção brasileira, da agroindústria, do produtor rural e do Nucleovet que contribui com conhecimento e aprendizado para que possamos continuar como um dos maiores produtores mundiais”.

Fonte: A.I., adaptado pela equipe feed&food.

CONFIRA:

Tecnologia e gestão são caminhos para estar entre os melhores da suinocultura

Feed&Food te dá 10% de desconto para participar do 13º SBSS

Primeiro dia do SBSS debate novas tecnologias na suinocultura

suinos

Após confirmação de PSA, governo dominicano analisa formas de contenção