in

Exportações de frango de Santa Catarina crescem 13%

Dados foram divulgados pelo Ministério da Economia e analisados pelo Epagri/Cepa

carne de frango

Devido ao desempenho robusto, Estado de Santa Catarina retomou crescimento nas exportações de carne de frango, durante o mês de maio. Ao todo, alta foi de 13% no faturamento, em relação a abril.

De acordo com o governador Carlos Moisés, manter a competitividade das agroindústrias instaladas no Estado e ampliar os mercados para a produção é um dos grandes objetivos. “No mês passado, embarcamos 89,9 mil toneladas do produto, com destino a mais de 120 países, faturando em torno de US$ 156,8 milhões”, ressalta.

Os números foram divulgados pelo Ministério da Economia e analisados pelo Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Epagri/Cepa). “O agronegócio catarinense vive um momento muito especial. A agroindústria segue investindo e ampliando sua capacidade produtiva em Santa Catarina, o que demonstra a pujança do nosso Estado. Os produtos catarinenses se tornaram sinônimo de qualidade em todo o mundo, e isso é resultado de um enorme esforço conjunto do Governo Federal, Governo do Estado, iniciativa privada e produtores rurais. O setor produtivo segue como a maior força de nossa economia, gerando emprego e renda para os catarinenses”, informa o secretário de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural, Altair Silva.

Em comparação ao mesmo mês de 2020, a alta foi de 8%. “Embora ainda exista defasagem em relação ao mesmo período do ano anterior, percebe-se uma recuperação nas exportações catarinenses de carne de frango ao longo deste ano. Tanto que os embarques de maio passado são o melhor resultado desde maio de 2020 em volume, e, desde dezembro de 2019, em receitas”, destaca o analista da Epagri/Cepa, Alexandre Giehl.

Clientes em destaque

 Vale ressaltar que, o bom desempenho com os embarques se deve principalmente ao aumento nas vendas para mercados em ascensão. A Arábia Saudita foi o segundo maior mercado da proteína catarinense no mês passado, com um crescimento de 67% na quantidade adquirida (10,3 mil toneladas) e de 68% em receitas (US$ 18,6 milhões), na comparação com abril. Outro destaque foram as Filipinas, com um aumento de 98% no valor arrecadado com as vendas.

Fonte: A.I, adaptado pela equipe feed&food.

LEIA TAMBÉM:

Contínua valorização do milho afeta pecuaristas

SP realiza Fórum sobre retirada da vacinação contra Febre Aftosa

OUROFINO

Ourofino disponibiliza relatório com resultados de 2020/21

Custos de produção de frango de corte crescem 19,63%