Pesquisar
Close this search box.
Patrocinado
SUINOCULTURA

Conteúdo

Consumo de carne suína bate recorde e chega a 20,5 kg/ano

Resultado concretiza trabalho integrado da ABCS junto à cadeia produtiva
feedfood
Fresh pork meat. Raw sliced pork meat. Pork neck

Cálculos da  Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS), a partir do censo  populacional realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), indicam que o consumo de carne suína alcançou o marco de 20,5 kg per capita no ano de 2022. 

Esse número representa um aumento de mais de 2 milhões de toneladas de carcaças suínas, e soma mais de 20 bilhões em valor bruto de carcaça (sem correção inflacionária), nos últimos 12 anos. Para entender a magnitude desse avanço, vale a pena compará-lo ao índice registrado em 2010, que era de 13,7 kg per capita. 

A diferença é mais do que meramente numérica: concretiza uma mudança substancial nos hábitos alimentares e na relação do público com a carne suína, trabalho encabeçado pela ABCS, por meio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura (FNDS), e suas afiliadas, junto a cadeia da suinocultura.

Os dados conversam com o trabalho realizado há mais de uma década pela ABCS, que colocou entre seus pontos de atuação estratégica a comunicação com diversos players ligados ao consumo para mudar a imagem da carne suína. 

pork fat on the market All a part of Pork in super market
Carne suína caiu no gosto do consumidor brasileiro (Foto: reprodução)

Além de produção e divulgação de materiais segmentados para crianças, adolescentes, médicos, nutricionistas, preparadores físicos, açougueiros e consumidores em geral, a suinocultura hoje é case premiado de iniciativa junto ao varejo para promover a carne suína com ofertas e informações com a maior vitrine da proteína no varejo brasileiro, a Semana Nacional da Carne Suína (SNCS), que este ano chegou em sua 11ª edição e esteve presente de norte a sul do Brasil.

“A chegada aos 20 kg per capita de consumo de carne suína não é meramente um dado estatístico, mas sim uma história de progresso que vai além dos números, delineando as mudanças em nossa sociedade e os fatores que impulsionam a evolução de nossos hábitos alimentares, construído por mais de 10 anos de trabalho conjunto de toda a cadeia de suínos, e da ABCS, com ações integradas em diferentes frentes, que colocam o consumidor no centro do diálogo com profissionais de saúde, chefs de cozinha e nas maiores redes de varejo do país”, explica o presidente da ABCS, Marcelo Lopes.   

De acordo com os dados produzidos pelo consultor de mercado da ABCS, Iuri Pinheiro Machado, a carne suína se consolida a cada ano como a queridinha dos consumidores e a carne da oportunidade. 

Em 12 anos, a carne suína teve um crescimento de quase 50% no consumo, enquanto o frango, que já tem um público consolidado, marcou o crescimento de cerca de 37%, e a carne bovina enfrenta retração em seu consumo de 5,7%, passando de 31,7 kg para 29,9 kg per capita. Em relação ao total de proteína animal consumida no ano, a carne suína que em 2010 representava pouco mais de 18% do consumo do brasileiro, já em 2022 ultrapassou a marca dos 22%.

Isso mostra que além do custo-benefício, a carne suína tem ganhado novos mercados por estar fazendo parte das descobertas e experiências dos consumidores, que têm enxergado na proteína uma opção que se encaixa em diversas ocasiões. 

Fonte: ABCS, adaptado pela equipe FeedFood.

LEIA TAMBÉM:

Exportações de carne suína atingem marco histórico em agosto

Nordeste sai na frente e deve produzir mais soja que a Índia

Grupo transforma couro de tilápia em roupas e acessórios

Patrocinado
Patrocinado