in

China se mantém como principal destino da carne bovina brasileira

No entanto, em comparativo com ano anterior, envios diminuíram quase 20%

Ao manter ascensão, exportações brasileiras de carne bovina seguem elevadas. Como pontua o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Esalq/USP, China continua como principal destino da proteína, mas há observações.

De acordo com o Cepea, ao pautar dados da Secex, de maio de 2020 para maio deste ano, contudo, os envios ao país asiático diminuíram quase 20%. Para os pesquisadores do Centro de Estudos, essa desaceleração gera preocupação entre os agentes do setor.

“Isso porque alguns chegam a se perguntar se a demanda chinesa pela carne brasileira teria atingido um limite. Neste caso, recentes notícias indicando uma recuperação do rebanho de suínos na China – a carne suína é uma das mais consumidas no país – pode indicar que o país pode, de fato, frear o ritmo de compras de proteína no mercado internacional”, explica.

Cenário verde e amarelo

Referente ao mercado brasileiro, o Cepea também pontua que a baixa oferta de animais para abate e o bom desempenho das exportações de carne mantêm firmes os preços da arroba.

Fonte: Cepea, adaptado pela equipe feed&food.

LEIA TAMBÉM:

Contínua valorização do milho afeta pecuaristas

Ourofino abre inscrições para programa de estágio

SP realiza Fórum sobre retirada da vacinação contra Febre Aftosa

Mosaic Fertilizantes abre inscrições para Programa de Estágio

Cenário atual impulsiona demanda por novos lotes de suínos