in

China pode liberar reservas emergenciais de suínos

País perdeu mais de 100 milhões de porcos devido à peste suína

GERAL035 Porcos em fazenda em Lucas do Rio Verde, Mato Grosso, Brasil28/02/2008 Crédito: Paulo Whitaker/Reuters Usada em 27-02-20 Usada em 18-06-20
País perdeu mais de 100 milhões de porcos devido à peste suína

Após a peste suína africana acabar com um terço da população suína da China, os funcionários do governo estão discutindo medidas para estabilizar mercado.

Por ser um elemento básico da dieta chinesa, a escassez da proteína pode prejudicar a estabilidade social do território. O surto de peste também ameaça a cadeia global de fornecimento da carne.

Para amparar a população, as autoridades chinesas já fizeram planos para reforçar o mercado, o que inclui subsídios para fazendas de suínos e famílias que podem ter dificuldades com os preços elevados. 

Na questão de valores, o preço que os varejistas pagam pela carne de porco aumentou quase 70% no ano passado. E o preço médio que os atacadistas pagam aos fornecedores aumentou 90% na última semana de agosto em comparação com o ano anterior, segundo dados do governo. 

Com isso, as autoridades se comprometeram a liberar as reservas de emergência do governo de carne de porco congelada, se necessário, disse o porta-voz do Ministério do Comércio, Gao Feng.

 Produção. Durante toda a pesquia, foi levantado que os agricultores não estão reabastecendo seus porcos vivos depois que os animais doentes morrem, o que levou as autoridades chinesas a explorar maneiras de incentivar agricultores e produtores. 

Os ministérios pediram às autoridades locais que acelerassem a distribuição de subsídios para fazendas onde os porcos foram abatidos por causa de doenças. E o governo de Pequim planeja aumentar subsídios, empréstimos e cobertura de seguro para produtores de suínos.

Os novos esforços para enfrentar a crise geraram otimismo entre os investidores de suínos na quarta-feira. O WH Group (WHGLY), o maior processador de suínos do mundo, registrou um aumento de 7,9% em Hong Kong. Assim como as ações do China Yurun Food Group e da COFCO Meat Holdings, que subiram 3,2% e 3%.

Uma outra medida abordada pelo País, foi a introdução de racionamento que limita os cidadãos a comprar certas quantidades de carne, em algumas cidades. 

Fonte: CNN, adaptado pela equipe feed&food.

Egito visa ampliar parceria para melhoramento genético

Cepea disponibiliza livro sobre gestão no Agro