Patrocinado
MERCADO

Conteúdo

Agroceres Multimix apresenta Núcleo de Tecnologia e Inovação

Entre 1990 e 2023, mais de 1,3 milhão de animais participaram de experimentos na estrutura
feedfood

João Paulo Monteiro, de Patrocínio e Patos de Minas (MG)
joao@ciasullieditores.com.br

Anualmente, a Agroceres Multimix investe em torno de R$10 milhões em desenvolvimento de novos produtos, validação e qualificação de insumos e aditivos, além de aperfeiçoamento das matrizes nutricionais, estudos de manejos e equipamentos.

Neste contexto, a estrutura de Pesquisa e Inovação desempenha papel central. Composta pelo Centro de Pesquisas e a Granja Paraíso, localizados nas cidades mineiras de Patrocínio e Patos de Minas, respectivamente, as instalações contam com 63 colaboradores dedicados e, somadas, recebem mais de 35 mil animais por ano, entre aves, suínos e bovinos.

Nos últimos 5 anos, um total de 119 estudos foram conduzidos, sendo 43 voltados a Orientações técnico nutricionais.

“O nosso objetivo é buscar soluções para os nossos clientes”, determina o diretor da empresa, Ricardo Ribeiral (Foto: Agroceres Multimix)

O Centro de Pesquisas se localiza em uma área de 54 hectares e é composto por quatro núcleos de experimentos, sendo eles de aves, suínos, bovinos de corte e de leite. Já a Granja Paraíso foca na suinocultura e reúne 3,4 mil matrizes suínas.

Segundo o gerente de Pesquisa e Saúde Animal da Agroceres Multimix, Tarley Araújo Barros, todos os protocolos de projetos de pesquisa são avaliados pela Comissão Ética de Uso de Animais (CEUA), formada por colaboradores da empresa, professores de universidades e membros da sociedade civil organizada.

As pesquisas conduzidas no local não se limitam apenas ao desenvolvimento de novas moléculas e produtos. Estratégias nutricionais, de conforto ou manejo, além da combinação de alimentos são alguns exemplos.

“Toda a estrutura é um elo de ligação entre a demanda do campo, indústria e pesquisa”, estabelece o gestor Técnico de Bovinos de Leite, Gilson Dias, e completa: “Abordamos, de maneira prática, temas relevantes que vão contribuir para os produtores e consumidores”.

Na mesma linha segue a gestora de serviços Técnicos de Aves, Patricia Marchizeli: “Por meio da estrutura obtemos respostas tanto em níveis nutricionais como avaliação de aditivos, e assim validamos as estratégias utilizadas no campo”.

A FeedFood, junto a outros profissionais de imprensa, teve a oportunidade de conhecer o Núcleo de Tecnologia e Inovação, estrutura inédita no mercado brasileiro de indústrias de nutrição animal. Confira a reportagem completa na edição de julho da revista.

LEIA TAMBÉM:

Ministérios se unem no combate à Influenza aviária

Especialista fala sobre rotulagem de produtos de pescados

Produção sustentável do pescado: problema ou oportunidade?