Pesquisar
Close this search box.
Patrocinado
SUINOCULTURA

Conteúdo

Produtividade suína aumenta com gestão eficaz de doenças apresentada pela Ceva

Durante o inverno, sobretudo no Sul do Brasil, as doenças doenças respiratórias são ainda mais frequentes
feedfood

O controle das doenças respiratórias suínas é essencial para os produtores, pois as enfermidades podem causar sérias perdas econômicas devido à redução do crescimento dos animais, aumentando a mortalidade e custos com tratamentos veterinários.

Neste cenário, aliada ao produtor, a Ceva Saúde Animal desenvolveu o Ceva Lung Program (CLP), um software que avalia a saúde pulmonar dos suínos abatidos de maneira global, informando o produtor de forma precisa os impactos das doenças respiratórias na granja.

Com um robusto banco de dados alimentado por informações globais e uma metodologia exclusiva, a ferramenta está disponível para Android e IOS em mais de 18 línguas, basta baixar o aplicativo, de forma gratuita, e solicitar o acesso à equipe Ceva Suínos.

O CLP conta com diretrizes que possibilitam avaliar a presença, incidência e padrões de circulação das principais doenças respiratórias do plantel, por meio da criação de um índice de lesões associadas à pneumonia enzoótica, como também outro índice associado à pleurisias encontradas ao abate.

CLP conta com diretrizes que possibilitam avaliar a presença, incidência e padrões de circulação das principais doenças respiratórias do plantel (Foto: reprodução)

A ferramenta ainda auxilia na mensuração dos impactos das doenças respiratórias nas granjas, o que possibilita conhecer o real status sanitário dos rebanhos nacionais e fornecer aos produtores abordagens preventivas mais efetivas contra as principais patologias respiratórias dos suínos.

Segundo o gerente de Linha Suínos da Ceva, Marcio Dahmer, o objetivo principal do CLP é ser uma ferramenta estratégica para o produtor. “Nós sabemos que a prevenção e o monitoramento dessas afecções respiratórias são muito importantes para toda a cadeia de produção de proteína suína”, afirmou.

Com base nos dados obtidos durante o abate, é elaborado um protocolo sanitário mais assertivo, que abrange desde o treinamento das equipes de vacinação até o acompanhamento dos lotes em todas as fases produtivas. Esse protocolo visa proteger os animais dos desafios presentes na granja, resultando em melhores resultados para o produtor.

Durante o inverno, sobretudo no Sul do Brasil, as enfermidades são ainda mais frequentes. As bactérias causadoras da Pneumonia Enzootica Suína (Mycoplasma hyopneumoniae), Pleuropneumonia (Actinobacillus pleuropneumoniae) e o vírus da Influenza podem ser considerados os três principais agentes causadores de prejuízos nas granjas brasileiras.

Fonte: Ceva, adaptado pela equipe FeedFood.

LEIA TAMBÉM:

Marketing do Agro: Agroconsciência diplomática e a proteína animal são vitais para o Brasil

Vitrine Agro: Números e mais números, por Ariovaldo Zani

Aqua Cenários: Mercado de carbono e as oportunidades para a aquicultura

Patrocinado
Patrocinado