in

Preço do milho sobe quase 18% após conflito europeu

Na última semana, compradores se mostraram mais ativos e dispostos a pagar mais caro

Avanço preço do milho
Reprodução

O mercado interno brasileiro segue em constante oscilação, e mais uma vez, a cotação do milho vem avançando com expressividade neste mês. As informações são do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) que divulgou as cotações do produto no porto de Paranaguá (PR), onde os valores estão sendo impulsionados pela maior demanda internacional e pelos aumentos nos preços externos.

Segundo Cepea, o aumento do produto no mercado interno se deve a demanda alta externa e com isso, as cotações são pressionadas em território nacional. No acumulado da parcial deste mês (entre 25 de fevereiro e 18 de março), o milho negociado no município de Paranaguá, valorizou 17,4%.

Ainda de acordo com pesquisadores do Centro de Estudos, “a maior demanda externa se deve ao conflito entre  Rússia e Ucrânia, que estão entre os cinco maiores exportadores mundiais do cereal. Além disso, o governo argentino sinaliza diminuir o volume exportado, visando preservar a oferta interna”.

Devido a guerra, nos primeiros 10 de março as exportações brasileiras de milho estiveram lentas, mas, na semana iniciada do dia 14, compradores se mostraram mais ativos no porto de Paranaguá, com negócios sendo realizados a preços acima dos praticados no interior do País.

Fonte: Cepea, adaptado pela equipe feed&food.

LEIA TAMBÉM:

Conflito em leste europeu impacta setor suinícola brasileiro

Período de vacinação contra febre aftosa começa em maio

Ceva alerta produtores sobre Pleuropneumonia Suína

Tereza Cristina vai ao Canadá em busca de novas oportunidades

uniquimica2

Uniquímica patrocina XIX Congresso de Ovos