Pesquisar
Close this search box.
Patrocinado
Revistas

Conteúdo

OS MÚLTIPLOS BENEFÍCIOS DOS MINERAIS ORGÂNICOS

Peça-chave na nutrição avícola, solução impulsiona uma produção de ovos de maior qualidade, eficiente e ambientalmente responsável
Equipe Feed&Food

No cenário atual da avicultura, a qualidade da casca dos ovos tem se tornado um fator crucial para produtores e consumidores, pois além de proteger o conteúdo interno, é um indicador de saúde e bem-estar das aves, influenciando diretamente a aceitação do produto no mercado. Entre os diversos fatores que afetam a qualidade da casca, a suplementação mineral tem se destacado como um elemento vital. A inclusão de minerais orgânicos na dieta das galinhas poedeiras pode melhorar significativamente a resistência e integridade da casca dos ovos, apresentando diversas vantagens.

Já a deficiência de minerais na dieta das aves pode resultar em cascas finas e frágeis, aumentando as perdas durante o transporte e manuseio. De acordo com a ABPA, as perdas de ovos devido a cascas danificadas podem representar até 10% da produção total, um impacto econômico considerável para os produtores. 

Pesquisas apontam que a suplementação com minerais orgânicos, como zinco, manganês e cobre, pode elevar a qualidade da casca, proporcionando maior resistência e uniformidade. Um estudo conduzido pela Universidade de São Paulo (USP) revelou que galinhas alimentadas com uma dieta rica em minerais orgânicos apresentaram uma redução de 15% nas quebras de ovos, em comparação com aquelas que receberam minerais inorgânicos.

Além dos benefícios para a produção, os consumidores também estão cada vez mais atentos à qualidade dos ovos que compram. O mercado tem exigido produtos que não apenas atendam aos critérios de segurança alimentar, mas também que sejam produzidos de forma sustentável e com foco no bem-estar animal. A utilização de minerais orgânicos se alinha com essas demandas, pois são melhor absorvidos pelo organismo das aves, reduzindo a necessidade de suplementação excessiva e, consequentemente, o impacto ambiental.

Uma revolução na nutrição animal. A crescente demanda por eficiência na produção animal e a preocupação com o impacto ambiental têm impulsionado a busca por soluções inovadoras na nutrição. “Entre elas, destaca-se a utilização de minerais orgânicos, que vêm demonstrando superioridade em comparação aos minerais inorgânicos tradicionais”, pontua a Engenheira Agrônoma, pós-doutora em Nutrição Animal e gerente Técnica Brasil da YesSinergy an Olmix Company, Verônica Lisboa.

A especialista explica que os minerais orgânicos são nutrientes que têm suas cargas protegidas por ligantes, geralmente aminoácidos. Essa proteção evita que os minerais se liguem a outros componentes da dieta, como proteínas e carboidratos, ou ainda a água e muco, ambos estruturas naturalmente encontradas no organismo dos animais. Essas interações são comuns quando os minerais estão na forma inorgânica, dificultando sua chegada aos sítios de absorção e, consequentemente, seu aproveitamento pelos animais.

Outro fator crucial é a interação entre diferentes minerais, um problema comum entre as fontes inorgânicas que pode prejudicar suas funções. De acordo com a nutricionista, essa interferência é praticamente eliminada com o uso de minerais orgânicos: “Diversos estudos internacionais comprovam a superioridade dos minerais orgânicos. Resultados apontam para um melhor desempenho zootécnico em todas as espécies de produção, com maior ganho de peso, melhor conversão alimentar e melhorias na produção de carne, leite e, quando se trata de aves poedeiras, ovos, tanto em qualidade interna quanto externa. Além disso, há ganhos significativos em sanidade e qualidade dos produtos finais”, acrescenta Verônica.

Por serem mais prontamente absorvidos pelas aves, os minerais orgânicos alcançam com maior eficiência seus sítios de absorção. “Isso é especialmente importante para minerais como cálcio, cobre, ferro, manganês, zinco e selênio, que são absorvidos e utilizados com maior eficácia por poedeiras e matrizes. O resultado são ovos com cascas mais resistentes, espessas e pesadas, reduzindo quebras e fissuras”, detalha a nutricionista.

Além disso, a maior absorção contribui de forma expressiva para a diminuição da excreção destes nutrientes no meio-ambiente. “O uso de minerais orgânicos alia desempenho zootécnico e sustentabilidade”, afirma Verônica.

Uma das características mais interessantes dos minerais orgânicos é a sua absorção por vias alternativas. Por exemplo, o cálcio ligado a aminoácidos como aspartato, glutamato e glicina é absorvido pelos carreadores intestinais de aminoácidos, evitando os desafios fisiológicos enfrentados pelos minerais inorgânicos. Como consequência, os aminoácidos são percebidos pelo organismo animal como estruturas “mais nobres”, proporcionando uma absorção preferencial dos minerais orgânicos.

“Frente a esses resultados, a revolução dos minerais orgânicos na nutrição animal é evidente. Comprovadamente mais eficazes e ambientalmente sustentáveis, eles representam uma evolução significativa, prometendo melhorar a produtividade e a saúde animal, ao mesmo tempo em que reduzem o impacto ambiental da produção”, conclui Verônica.

Maximizando a saúde e a produção. A busca por métodos eficazes na alimentação de aves poedeiras é uma constante na indústria avícola, visando garantir não apenas a produtividade, mas também a saúde e a qualidade dos ovos, como explica a Doutora em Ciência Avícola, e gerente de Soluções para Avicultura da Novus, Gabriela Cardoso Dal Pont. 

De acordo com a especialista, as fontes mais comuns de minerais orgânicos na alimentação das aves são os complexos de minerais com ácido propiônico, polissacarídeos e aminoácidos, os proteinatos e os minerais chelatados e bis-chelatados. Fontes de minerais orgânicos de boa qualidade, segundo ela, possuem uma maior biodisponibilidade, o que significa que os minerais são absorvidos e utilizados de forma mais eficiente pelo organismo das aves, contribuindo para sua saúde e para a formação de ovos de qualidade.

A escolha das melhores fontes de minerais orgânicos é necessária para garantir a saúde das aves e a qualidade dos ovos. Gabriela ressalta ainda a importância de selecionar fontes que tenham alta proteção e que não interfiram com outros componentes da dieta das aves, como os minerais bis-quelatados, que oferecem alta proteção e disponibilidade, promovendo a longevidade das poedeiras, uma produção de ovos mais elevada e uma qualidade superior dos ovos.

Por isso, os minerais orgânicos devem ser vistos como um investimento. Embora possam apresentar um custo inicial mais elevado em comparação com as fontes inorgânicas, o retorno desse investimento se reflete na produção aumentada de ovos por poedeira e na obtenção de ovos de maior qualidade. Essa melhoria na produtividade não apenas se reflete em aumento do número de ovos produzidos, mas também garante uma maior viabilidade dos ovos, resultando em mais produtos íntegros chegando ao consumidor e benefícios econômicos a longo prazo para o produtor.

“A utilização de minerais orgânicos é uma prática que oferece benefícios significativos tanto para a saúde dos animais quanto para a qualidade dos ovos, representando um investimento seguro e vantajoso para os produtores avícolas”, argumenta a gerente de Soluções para Avicultura da Novus. 

Uma perspectiva especializada. “Os minerais orgânicos proporcionam vantagens multifacetadas, indo além da simples melhoria na qualidade da casca dos ovos”, afirma a zootecnista, mestre em Produção Animal Sustentável e coordenadora Técnico Comercial na Vidara do Brasil, Andreia Vilas Boas. De acordo com a especialista, esses minerais desempenham um papel significativo na melhoria da qualidade interna dos ovos, na redução dos efeitos negativos do envelhecimento das aves e na otimização do status oxidativo, prolongando, assim, a vida útil dos alimentos.

Além disso, os produtos exercem influência direta na saúde e na produtividade das aves, pois ao garantir uma maior biodisponibilidade e absorção eficiente, eles promovem benefícios metabólicos e fisiológicos, permitindo que as aves expressem seu potencial genético. Isso resulta em aves mais saudáveis, menos suscetíveis ao estresse oxidativo e capazes de manter a qualidade dos ovos mesmo em idades avançadas.

“Entretanto, o uso de minerais orgânicos não está isento de desafios. É importante selecionar cuidadamente os produtos, levando em consideração a variação na qualidade e nos níveis de suplementação disponíveis no mercado. A escolha de ingredientes de alta qualidade é crucial para garantir uma resposta adequada por parte das aves”, complementa Andreia.

Desta forma, a utilização de minerais orgânicos na nutrição das aves desempenha um papel fundamental na promoção da sustentabilidade e da rentabilidade na produção de ovos. “Ao reduzir a excreção no ambiente devido à sua maior absorção, esses minerais ajudam a construir um sistema de produção mais sustentável e alinhado aos princípios de responsabilidade ambiental”, conclui a especialista da Vidara.

Impacto na produção. A importância dos minerais na dieta animal é indiscutível, divididos conceitualmente em microminerais e macrominerais, desempenham papéis cruciais na nutrição animal. Os primeiros, como cálcio e fósforo, são encontrados em maior quantidade no organismo, enquanto os microminerais, como manganês, cobre, zinco, ferro e selênio, embora presentes em menor quantidade nos tecidos, exercem funções vitais como catalisadores de processos enzimáticos e melhoria do sistema imune, entre outros. 

A suplementação mineral, muitas vezes necessária devido à deficiência desses elementos nos ingredientes da ração, é tradicionalmente realizada por meio de fontes inorgânicas. No entanto, essas fontes apresentam desafios, como instabilidade e baixa absorção intestinal, que podem comprometer a eficácia do processo.

“Nesse contexto, as fontes de minerais orgânicos têm ganhado destaque. Estudos demonstram que sua utilização pode reduzir os níveis de inclusão na dieta sem prejudicar o desempenho animal, graças à sua maior biodisponibilidade. Essa eficiência pode não apenas impactar positivamente os custos da produção, mas também reduzir os impactos ambientais, uma preocupação cada vez mais presente na agenda da indústria agropecuária”, explica o zootecnista e diretor de CD&D da ADM para América Latina, Fábio Catunda. 

A compreensão do papel dos minerais orgânicos na estrutura da casca dos ovos é fundamental. Embora os microminerais tenham baixa concentração na casca, sua presença é crucial nos processos metabólicos que coordenam sua formação. Deficiências desses minerais podem comprometer a qualidade da casca, levando à problemas como cascas finas, deformações e redução do peso dos ovos. 

Ainda, de acordo com o zootecnista, a absorção eficiente dos minerais orgânicos, facilitada por sua ligação a moléculas orgânicas, como a glicina, faz com que os minerais orgânicos glicinatos apresentem uma vantagem significativa sobre os minerais inorgânicos. “Além disso, sua estabilidade e baixa reatividade com outros componentes da dieta contribuem para uma maior disponibilidade e menor impacto ambiental, conclui Fábio”. 

Patrocinado
Patrocinado