in

Missão ao Oriente Médio garante abertura de mercados

Investimento em infraestrutura e exportação de lácteos estiveram na pauta

Investimento em infraestrutura e exportação de lácteos estiveram na pauta

Encerrou na última segunda-feira (23) a missão ao Oriente Médio liderada pela ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Tereza Cristina. Durante a viagem, que ocorreu entre os dias 11 e 23 de setembro, a comitiva passou por quatro países: Egito, Arábia Saudita, Kuwait e os Emirados Árabes Unidos. 

O objetivo da ação foi estreitar as relações comerciais entre os países árabes e o Brasil.  Durante a missão, ocorreram reuniões com autoridades de governos e empresários. Investidores também demonstraram interesse na execução de obras logísticas no Brasil, que visam tornar o agronegócio mais competitivo. 

Mercado. No último ano, as exportações agropecuárias para 55 países árabes somaram US$ 16,13 bilhões, o que representa 19% do total das vendas externas do agro brasileiro. O comércio pode crescer ainda mais com investimentos e negócios em toda a cadeia produtiva, como maquinário, estocagem, tecnologia e inovação.

Confira o balanço da visita:

Egito. Em visita ao país, a ministra anunciou a abertura do mercado lácteo brasileiro. A decisão estava sendo aguardada desde 2016.

Com a abertura deste mercado, o setor poderá atingir mais 100 milhões de consumidores. Outros temas do encontro foram o envio de caprinos e ovinos, entre demais produtos. 

Além disso, os países iniciaram as tratativas para um convênio entre a Embrapa e centro de pesquisas do Egito. Nas reuniões, no Cairo, também foram debatidas redução de tarifas de exportação e padronização de certificados sanitários.

Arábia Saudita. Tereza Cristina tfinalizou acordos que ampliam a pauta exportadora de produtos do agronegócio brasileiro ao Reino. Foram autorizadas pela SFDA, autoridade sanitária saudita, as compras de derivados de ovos e itens do mercado agrícola. Somados, os produtos representam um mercado potencial superior a US$ 2 bilhões.

Também foi debatido com investidores as oportunidades de trabalhar em infraestrutura no Brasil, como rodovias e ferrovias, o que ajudará a tornar o agronegócio brasileiro ainda mais competitivo.

Os investidores querem mais diálogo com os empresários brasileiros para ampliar a pauta e também mencionaram o interesse em levar tecnologia brasileira para a Arábia Saudita.

KuwaitA emissão de certificados de exportação e cooperação técnica na área de pesca e aquicultura também foram tratadas nas reuniões de trabalho das quais a ministra participou.

De acordo com a gestora da Pasta, a Embrapa pode contribuir nesta missão, pois mantém dois centros de pesquisa e criação de peixes em cativeiro. As exportações brasileiras para o Kuwait, em 2018, foram de US$ 209,4 milhões, o equivalente a 215.463 toneladas.

Emirados Árabes. No último país da missão ao Oriente Médio, a ministra apresentou oportunidades de investimento em infraestrutura no Brasil, visando solucionar gargalos enfrentados pelo agronegócio. Durante reuniões em Abu Dhabi, foram detalhados empreendimentos previstos no Programa de Parcerias de Investimento (PPI).

Já em Dubai, a ministra participou do seminário da Câmara de Comércio Árabe-Brasileira e mostrou as oportunidades de comércio e investimentos no Brasil.

Fonte: A.I., adaptado pela equipe feed&food.

Bastos realizará a 1ª Semana do Ovo

Nutrição animal deve crescer 2,5% somente este ano