in

Fundação Cargill Brasil apoia 14 instituições em 2021

Edital beneficiará 46,7 mil pessoas em todo o País

A Fundação Cargill apresenta os 14 projetos brasileiros selecionados para receber apoio técnico e financeiro da 6ª edição de seu edital. O programa tem como objetivo a promoção da alimentação segura, sustentável e acessível, e auxilia iniciativas com este propósito, localizadas nas comunidades próximas das unidades e escritórios da Cargill. Em 2021, as instituições selecionadas receberão entre R$ 50 mil e R$ 200 mil e beneficiarão 46,7 mil pessoas.

As propostas recebidas ao longo do ano foram avaliadas quanto ao alinhamento e coerência da sua missão com o propósito da Fundação Cargill. Além disso foram verificados a consistência do planejamento e gestão; o impacto e a relevância frente ao contexto local em que se pretende atuar; o potencial de escala e a consequente transformação social; além de fatores que asseguram a continuidade da iniciativa.

Realizado desde 2014, o Edital da Fundação Cargill já apoiou mais de 61 projetos. “Cada vez que lançamos um edital, recebemos iniciativas que fazem a diferença onde estão inseridas. Nesse ano, não foi diferente e a escolha é sempre muito difícil. Por isso, já estamos elaborando novidades para a próxima edição. As iniciativas escolhidas nesse ano possuem propostas que poderão trazer benefícios não somente para as pessoas que participam, mas também um impacto positivo socioambiental para a região e isso é muito importante para nós. Esperamos que, com o nosso apoio, eles possam continuar o trabalho junto às comunidades, crescer e prosperar cada vez mais”, afirma Flávia Tayama, diretora da Fundação Cargill no Brasil.

Conheça os projetos selecionados:

Nutrição e desenvolvimento regional a partir da pupunha, Porto Velho (RO) – desenvolvida pela Fundação Universidade Federal de Rondônia, a iniciativa propõe a utilização sustentável do fruto da pupunheira como ingrediente para melhoria da qualidade nutricional de alimentos ofertados à população, promovendo segurança nutricional e alimentar, além de desenvolvimento regional. A equipe fornecerá treinamentos para os produtores rurais e auxiliará na inserção do produto na merenda escolar, beneficiando mais de 20 mil pessoas entre alunos da rede pública de ensino, educadores, idosos de abrigos e comunidade rural.

Semeando Agrofloresta: geração de renda aliada à preservação da biodiversidade, Uberlândia (MG) – criado pela Associação Camponesa de Produção da Reforma Agrária do município de Uberlândia, o projeto tem como objetivo organizar toda a cadeia produtiva dos alimentos orgânicos, desde a sua produção agroflorestal. A iniciativa irá construir e estruturar uma agroindústria e fomentar a comercialização desses produtos em diversos mercados locais, inovando e fortalecendo o empreendedorismo da ACAMPRA.

Hortas Urbanas São Mateus IV e V, São Paulo (SP) – projeto da Organização Cidades Sem Fome visa a criação e operação de duas hortas urbanas orgânicas. Elas irão gerar trabalho e renda para a população carente e desempregada da região de São Mateus, na cidade de São Paulo.

Fortalecimento do Banco de Alimentos contra o desperdício e a favor de comunidades em situação de vulnerabilidade social, Goiânia (GO) – desenvolvido pela Organização das Voluntárias de Goiás, o projeto tem como objetivo a geração de alimentos oriundos de frutas e hortaliças desidratadas. Feitos no Banco de Alimentos do CEASA, em Goiânia, toda a produção será distribuída para ONGs cadastradas a fim de impulsionar a capacitação da comunidade e combater o desperdício de alimentos. Essa iniciativa beneficiará mais de 12 mil pessoas atendidas pelas instituições.

Raízes na Cozinha, São Paulo (SP)  projeto da Associação Migraflix, que tem o objetivo de apoiar refugiados imigrantes na geração de renda e desenvolvimento de seus próprios negócios. Dessa forma, serão realizados mentoria e cursos para capacitação em empreendedorismo gastronômico, canais de venda, suporte técnico digital e geração de microcrédito. A equipe pretende desenvolver a metodologia por meio de ferramentas tecnológicas para maior integração socioeconômica.

Guabiroba: manejo agroflorestal, estruturação de cadeia produtiva com geração de renda para a agricultura familiar e desenvolvimento de novos ingredientes alimentícios, Irati (PR) – criado pela startup Heide Indústria e Comércio, a iniciativa promoverá a estruturação da cadeia da Guabiroba na região de Irati/PR, por meio da agregação de valor na base produtiva, desenvolvimento de novos ingredientes para indústria de alimentos e articulação de mercado.

Saberes e Sabores: gerando alternativas de emprego e renda por meio da alimentação para mulheres em situação de vulnerabilidade, Goiânia (GO) – projeto do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás (IFG), que irá estimular transformações pessoais, culturais, sociais e econômicas para 120 mulheres em situação de extrema vulnerabilidade (violência doméstica e vulnerabilidade econômica) residentes na Região Metropolitana de Goiânia, por meio de um curso de habilidades básicas de venda e produção de alimentos.

Produção de mudas em viveiro para implantação da fruticultura para agricultores familiares e assentados da reforma agrária, Nova Ubiratã (MT) – desenvolvido pela Cooperativa Central Mato-Grossense da Agricultura Familiar (CCMAF), a iniciativa visa a implementação da fruticultura e a olericultura, gerando emprego e renda para a agricultura familiar de 50 pequenos produtores rurais da região e de mais quatro Assentamentos Rurais do INCRA. Ao todo, serão distribuídas 50.000 mudas.

Proseando sobre Leite, Brasilândia (MS) – a Associação dos Produtores de Leite de Brasilândia (APLB) fornecerá a suplementação animal para 25 famílias ligadas às associações Almanara, APLB, Esperança, Pedra Bonita e Santana Santa Emília, buscando assim a melhoria na qualidade e quantidade do leite na época de estiagem.

Comer e brincar na escola. Promovendo hábitos saudáveis e evitando o desperdício, São Paulo (SP) – o projeto apoia as Secretarias Municipais de Educação em cinco municípios brasileiros na formação de profissionais, contribuindo para a inserção da alimentação e do movimento, na perspectiva da promoção da saúde e sustentabilidade, como atividade educativa incorporada ao projeto pedagógico das unidades de Educação Infantil.

Feira Sustentável da Agricultura Familiar da Unochapecó, Chapecó (SC) – criado pela Fundação Universitária do Desenvolvimento do Oeste, o projeto tem como objetivo dar acesso a toda comunidade do entorno da universidade a produtos saudáveis com preços justos, fomentando o empreendedorismo dos agricultores familiares atrelado a processos de educação alimentar, nutricional e gastronômicos e incentivo à redução dos desperdícios.

Prato Firmeza: Campo e Cidade, São Paulo (SP) – o projeto mapeia os empreendimentos gastronômicos na periferia de São Paulo, e agora irá mostrar por meio do jornalismo audiovisual, histórias sobre a cadeia de alimentação no campo e na cidade. Será produzida uma série de 4 episódios gravados em Parelheiros e São Mateus, em São Paulo, e nas regiões de Bragança Paulista e Mogi das Cruzes. A proposta da Associação de Escola de Jornalismo é olhar profundamente para essa cadeia, apresentando o diálogo entre produtores e empreendedores, mas partindo do ponto de vista dos próprios jovens, com seus diferentes perfis e suas relações com a comida e com o jornalismo.

Startup Tech: Desafios da Amazônia, Porto Velho (RO) e Santarém (PA) – iniciativa da Associação Wylinka visa a criação do circuito de programas (Bootcamp e Sprint) que desenvolvam soluções de base científica e tecnológica, criadas por estudantes universitários das regiões de Porto Velho e Santarém, para os desafios da cadeia de alimentação da Amazônia.

Projeto Cacau Digital, Ibirapitanga (BA) – criado pela startup ManejeBem, Assessoria em Agricultura Sustentável, o projeto irá implementar plataforma de assistência técnica agrícola para aumento da escala de trabalho do técnico a campo e acompanhamento de indicadores de sustentabilidade e estruturação da cadeia produtiva do cacau. A iniciativa atenderá a comunidade Joaquim da Mata, em Ibirapitanga (BA).

Profissionais da Yara participarão do CNMA

Ação visa unir sociedade e agronegócio