Pesquisar
Close this search box.
Patrocinado
MERCADO

Conteúdo

Agroceres PIC inaugura UDG na Argentina

Investimento dá sequência ao projeto de expansão do negócio de Genética Líquida
feedfood

A Agroceres PIC inaugurou, no último dia 20 de setembro, em Florentino Ameghino, na Argentina, uma nova Unidade de Disseminação de Genes (UDG). Estratégico, o investimento é mais uma etapa do projeto de expansão do negócio de genética líquida da empresa, cujo foco é criar uma base tecnológica para agregar ganhos de competitividade aos seus clientes. 

Com a nova unidade argentina, a companhia de genética passa a contar com 9 UDGs distribuídas entre os dois países (6 unidades no Brasil e 3 na Argentina), o que lhe permite ampliar o fornecimento do produto no mercado. Uma nova UDG está sendo construída em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul e deverá ser inaugurada já no ano que vem. A meta da empresa é atender 70% de seus clientes por meio do fornecimento de sêmen em, no máximo, dois anos.

Com perfil construtivo e tecnológico idêntico ao das outras centrais da Agroceres PIC, a UDG Ameghino tem capacidade para alojar 800 reprodutores de alto valor genético e potencial para processar 1,2 milhão de doses de sêmen por ano.  

“A inauguração da UDG Ameghino representa uma conquista marcante para nosso negócio de Genética Líquida, pois nos permite expandir nossas atividades, aumentar a eficiência da disseminação de genes superiores e acelerar o progresso genético nas unidades de produção comercial no Brasil e na Argentina”, explica o diretor Superintendente da Agroceres PIC, Alexandre Furtado da Rosa. 

Além da UDG na Argentina, a empresa está construindo duas estações quarentenárias em Paso de Los Libres, Corrientes. Homologadas pelo Servicio Nacional de Sanidade y Calidade Agroalimetaria (SENASA), as unidades têm o objetivo de reforçar o controle sanitário na importação dos suínos e assegurar o fluxo necessário para atualização genética do plantel argentino.

Genética Líquida: um negócio em franca expansão

A comercialização de sêmen produzido em estruturas altamente tecnificadas – as UDGs – é uma prática consolidada nos principais produtores do mercado suinícola mundial. No Brasil, com resultados efetivos no campo, a genética líquida vem ganhando novos adeptos em ritmo crescente desde que foi lançada pela Agroceres PIC, em 2013. De lá para cá o negócio não parou mais de crescer.

Alguns números da própria companhia demostram a forte adesão dos suinocultores brasileiros à tecnologia. Quando deu início a esse modelo de negócios no Brasil, a Agroceres PIC produziu, aproximadamente, 200 mil doses de Genética Líquida. Dez anos depois, em 2023, a comercialização vai fechar o ano com a produção de 4,5 milhões de doses, um crescimento de mais de 2.000%.

O rápido aumento da demanda obrigou a Agroceres PIC a intensificar seus investimentos. Nos últimos 10 anos, a empresa investiu cerca de R$ 200 milhões em seu negócio de Genética Líquida. Os aportes foram direcionados, principalmente, para a construção das UDGs, mas também para a importação de animais de alto valor genético e no desenvolvimento de sistemas automatizados de controle da qualidade das doses de sêmen nas etapas de produção, expedição e transporte.

A inauguração da nova unidade na Argentina permitirá à Agroceres PIC reforçar expressivamente sua atuação nessa área. Com a operação da UDG Ameghino, a empresa fortalece a maior e mais avançada estrutura de Genética Líquida da América Latina. Um sistema total 4,1 mil machos em coleta e capacidade de produção instalada de 5,8 milhões de doses inseminantes por ano, volume capaz de atender um plantel aproximado de um milhão de matrizes tecnificadas.

NÚMEROS

O Negócio de Genética Líquida Agroceres PIC

  • 6 Unidades estrategicamente distribuídas no Brasil: UDG Presidente Olegário (MG), UDG Patos de Minas (MG), UDG Itabirito (MG), UDG Fraiburgo (SC), UDG Laranjeiras do Sul (PR) e UDG Paranavaí (PR). Mais 3 unidades na Argentina: UDG Ameghino, UDG NetPork e UDG Gestión Porcina.
  • 4,1 mil reprodutores de alto valor genético em coleta
  • Capacidade de produção total por ano: 5,8 milhões de doses inseminantes
  • Maior estrutura de Genética Líquida da América Latina, capaz de atender um plantel de 1 milhão de matrizes por ano (Brasil e Argentina).
  • Investimento total no negócio de Genética Líquida: R$ 200 milhões

Fonte: AI, adaptado pela equipe FeedFood.

LEIA TAMBÉM:

Brasil abre cinco novos mercados para bovinos vivos

Boletim informa previsões e possíveis impactos do El Niño

Empresas expõem portfólio na 7ª Feira do Nordeste

Patrocinado
Patrocinado