Pesquisar
Close this search box.
Patrocinado
MERCADO

Conteúdo

Vaccinar destaca bom desempenho durante 2021

feedfood
VACCINAR

A Vaccinar — empresa de nutrição animal, 100% brasileira e uma das líderes do setor — encerra mais um ano com importantes conquistas. Em 2021, a companhia aumentou a sua produção em 52,3% em comparação com o ano anterior.

Com robustos investimentos em pesquisas, novas tecnologias e em infraestrutura, a Vaccinar inaugurou a sua sétima unidade produtiva e o seu sexto Centro de Distribuição (CD), em Araguaína, considerada a capital econômica do Tocantins. As novas instalações da companhia são focadas no segmento de bovinos de corte e são estratégicas para os negócios da empresa, uma vez que fortalecem seu relacionamento com os clientes da região.

Para o CEO da Vaccinar Nelson Lopes, a expansão da empresa é fruto do empenho de uma equipe qualificada e comprometida em entender as necessidades do cliente, bem como desenvolver e oferecer o que há de mais moderno em nutrição animal. “Com investimentos constantes em pesquisa, a Vaccinar oferece soluções efetivas para agregar valor aos negócios dos nossos clientes. É justamente a proximidade com o campo que nos diferencia das demais empresas”, diz.

E os planos de expansão da companhia continuam em 2022. “Já está em construção mais uma unidade produtiva em Goianira, Goiás”, destaca Lopes. De norte a sul, a Vaccinar estará presente com fábricas em todas as regiões do país. Com isso, a perspectiva é que até 2022 a capacidade produtiva da Vaccinar chegue a 686 mil toneladas/ano.

GERAÇÃO DE EMPREGOS

Diante da crise econômica gerada pela pandemia, o CEO afirma que se sente orgulhoso da forma como a expansão da empresa contribui com a renda de muitas famílias brasileiras. “Em função da inauguração das novas unidades e do grande esforço para gerar empregos, mesmo no período da pandemia, a Vaccinar busca beneficiar as comunidades com ampliação das ofertas de trabalho nas regiões em que atua. Para 2022, nossa meta é ter ainda novas contratações, sem deixar de lado os cuidados preventivos contra a Covid-19”, observa.

Fonte: A.I, adaptado pela equipe feed&food.

LEIA TAMBÉM:

Suinocultura deve encerrar ano com bons números

Avicultura se mostra robusta em produção, exportação e consumo

FAESP comemora fim de embargo chinês à carne bovina

Patrocinado
Patrocinado