in

Topigs Norsvin tem nova parceria

Companhia confirma parceria com a Castrolanda Cooperativa Agroindustrial

Companhia confirma parceria com a Castrolanda Cooperativa Agroindustrial

Presente já em33% das fêmeas de elite do plantel brasileiro, a genética Topigs Norsvin, conquista novos e importantes aliados, especialmente em segmentos que buscam atender à crescente demanda por carnes premium. Depois da recente ampliação de parceria com a Lar Cooperativa Agroindustrial (região Oeste Paranaense), a Empresa acaba de formalizar o aporte de sua genética à Castrolanda Cooperativa Agroindustrial (região Central do Paraná).

Em conjunto com as também Cooperativas  Frísia e Capal, a Castrolanda opera em sistema de parceria chamado intercooperação, um dos mais modernos frigoríficos de suínos da América do Sul, que apresenta seus produtos ao mercado com a bandeira da marca Allegra e foi projetado para processar 120 mil toneladas de carne suína ao ano.

Segundo o Coordenador de Produção da Castrolanda, Euler P.S. Kiefer, para ajudar a atender à crescente demanda do frigorífico, a Castrolanda está ativando uma Unidade de Produção de Leitões, onde 6.500 matrizes TN70 produzirão ao menos 175.700 leitões por ano, que serão repassados para as granjas de Cooperados e também a clientes da própria Topigs Norsvin. A TN70 é reconhecida pelo mercado, como a melhor matriz do mundo, graças às suas características produtivas, docilidade no manejo e habilidade materna. A UPL, que as abriga tem 40.000 metros quadrados de área construída e atende a todas as normas internacionais de bem-estar animal, com baias de gestação coletiva e demais equipamentos de conforto.

Da esquerda para a direita, Jackson Pereira, Gerente da UPL, André Costa, Diretor Geral da Topigs Norsvin do Brasil e Mauro Cezar de Faria, Gerente de Negócios – Carnes da Castrolanda (Foto: divulgação)

Segundo o diretor de Negócios da Topigs Norsvin, Adauto Canedo Junior, o repasse de genética está sendo realizado no sistema “InGene”. Neste processo, depois do povoamento com as bisavós, avós e matrizes F1, a granja passa a produzir sua autorreposição, recebendo de fora apenas sêmen de machos bisavôs e avôs de alto valor genético. O plantel de matrizes brasileiras é integrado à base de dados Pigbase na Holanda, por meio de softwares de gerenciamento. Assim, o programa de melhoramento é conduzido dentro da própria granja sob a orientação, acompanhamento e supervisão dos técnicos da Topigs Norsvin.

Segundo Adauto, “o uso deste sistema reduz o custo genético e o risco sanitário, aumenta a biossegurança e o progresso genético pela maior proximidade com o topo da pirâmide genética, além de maximizar a adaptação das marrãs de reposição produzidas localmente e possibilitar a customização de critérios de seleção genética e fenotípica”.

A Castrolanda tem forte presença na produção de carnes, leite, batata, feijão e sementes, com unidades industriais nos segmentos de carnes, leite e batata. A marca Allegre fornece carne industrializada e in natura para grandes redes de lanchonetes do País, como Outback, McDonald’s, Madero e Applebee’s. Fundada em 1951 por imigrantes holandeses, a Castrolanda conta com 961 cooperados e 3.216 colaboradores. Em 2018, segundo a Organização das Cooperativas Brasileiras, teve faturamento de R$ 3,38 bilhões, um crescimento de 16%, comparado a 2017. 

Fonte: A.I., adaptado pela equipe feed&food.

Comunicar e vender mais, para o Brasil crescer

SC aumenta fiscalização de peste suína