in

Topigs Norsvin oferta animal com alta conversão alimentar

Macho Terminador atingiu marca de conversão alimentar de 1,75 na fase entre 30 kg e 120 kg

A suinocultura brasileira tem feito grandes investimentos em tecnologias para potencializar a conversão alimentar dos plantéis, já que esse aspecto tem um impacto financeiro muito alto. Porém, quando falamos de tecnologia, a Topigs Norsvin, líder mundial em pesquisa e desenvolvimento de genética suína, tem papel de destaque.

Com o uso de tecnologias como a tomografia computadorizada, comedouros automáticos para avaliação de consumo de ração individual e seleção genômica em larga escala, as linhagens Topigs Norsvin tem atingido significativo progresso genético para conversão alimentar ao mesmo tempo que também obtém progresso em características ligadas à qualidade de carne.

No mercado brasileiro, os suinocultores que procuram por um animal que entregue excelente conversão alimentar e carne de qualidade com excelente marmoreio, suculência e sabor podem contar com o Norsvin Duroc da Topigs Norsvin. O Norsvin Duroc é um macho terminador direcionado para os produtores que visam baixos custos de produção, combinados com a qualidade da carne adequada para marcas premium e mercados externos mais exigentes e de maior remuneração.

Norsvin Duroc:

Em um levantamento realizado em 2020 nos Núcleos Genéticos da Topigs Norsvin na Noruega, os 10% melhores machos Duroc puros testados na fase entre 30 kg e 120 kg apresentaram uma conversão alimentar de 1,75, além de um ganho de peso médio diário (GPD) de 1.179 g/dia. “Esses resultados comprovam todo o potencial alcançado pelo Norsvin Duroc com o uso de alta tecnologia e com o comprometimento da empresa com seus clientes”, afirma o diretor Técnico no Brasil da empresa, Marcos Lopes.

O progresso genético na linhagem Duroc tem sido bastante expressivo. Em cinco anos, a conversão alimentar foi melhorada em mais de 0,25 e o GPD em mais de 150 g/dia. “Temos um material genético completo e que preenche todas as necessidades dos produtores e consumidores: o macho Norsvin Duroc. Oriundo de uma população de Duroc puro, o Norsvin Duroc vem para atender a uma demanda do mercado que não abre mão de uma melhor conversão alimentar, porém, que também busca por excelente qualidade de carne para atender ao crescimento dos produtos premium e gourmet no mercado doméstico, bem como as demandas de mercados internacionais mais exigentes, como alguns asiáticos”, explica Marcos Lopes.

A progênie do Norsvin Duroc ainda oferece ao mercado uma combinação de alta deposição de carne magra e uniformidade. Devido a sua alta robustez, o terminador da Topigs Norsvin apresenta uma alta taxa de produtividade e crescimento, suportadas pela sua resistência natural para lidar com desafios sanitários.

Investimentos recentes no plantel brasileiro:

Recentemente a Topigs Norsvin importou da Noruega uma carga de reprodutores de alto mérito genético. Com a chegada desses machos, a empresa reforçou seu compromisso em oferecer o mais alto potencial genético para seus clientes e parceiros, investindo para o melhoramento genético dos plantéis brasileiros.

Foram importados reprodutores das linhagens Norsvin Landrace e Norsvin Duroc. Com esses investimentos, a Topigs Norsvin reforça seu compromisso em manter uma estreita ligação genética entre os plantéis do Brasil e dos núcleos genéticos da empresa localizados no hemisfério norte.

Fonte: A.I, adaptado pela equipe feed&food.

LEIA TAMBÉM:

Contínua valorização do milho afeta pecuaristas

SP realiza Fórum sobre retirada da vacinação contra Febre Aftosa

Internet

Internet tem impacto nas cadeias produtivas do agro

MAPA

Internet 5G para uso no agro é testada em Sorocaba (SP)