in

“Status do ovo” eleva consumo nos lares brasileiros

Alimento passou a ser reconhecido pelo valor nutricional

Recentemente divulgada pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), uma pesquisa mercadológica, realizada pelo Centro de Assessoria e Pesquisa de Mercado (CEAP), revela que 98,5% dos lares brasileiros consomem algum tipo de proteína animal. Destas proteínas, a que está em destaque é o ovo, presença garantida em 96% lares brasileiros.

Segundo o Grupo Mantiqueira, uma das lideranças no segmento da avicultura na América do Sul, a alta do consumo de ovos decorre de diversos fatores, tendo como destaque, o status de alimento fundamental, passando a ser indicado, como o segundo mais completo alimento, depois do leite materno.

A versatilidade da proteína também é outro ponto forte para a procura. A saudabilidade também garante que o mesmo seja indicado para todas as idades, em todas as refeições e em inúmeras receitas. Deixando para traz o mito de que o ovo era um dos possíveis causadores do aumento do colesterol.

Alta exponencial

O aumento do consumo per capita de ovos já vem sendo registrado nas últimas décadas, em todo o mundo e especialmente no Brasil. Segundo a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) , há 20 anos, o consumo per capita de ovos no Brasil era de 94, há 10 anos aumentou para 148 e ano passado foi de 251 ovos. 

Acompanhando a demanda

Em 2020, o Grupo Mantiqueira produziu cerca de 2,7 bilhões de ovos, abastecendo mais de 14 estados brasileiros e o Distrito Federal.  E atento a este crescente consumo de ovos, a empresa vem apostando também no Clube Mantiqueira, o primeiro clube de assinantes de ovos do país, ampliando a presença como empresa multicanal e digital. Hoje, o serviço leva a comodidade do ovo entregue na casa de mais de 4000 assinantes com cobertura em todo o Grande Rio de Janeiro, Niterói, Grande São Paulo e ABC Paulista e Sul de Minas. 

Produção sustentável

E também se antecipando às tendências mundiais do consumo de ovos, a empresa anunciou no final de 2020, seu maior investimento e compromisso voltados ao bem-estar animal, para a produção em larga escala de ovos no sistema Cage-free (sigla para aves criadas livres de gaiolas). Desde então, o Grupo não constrói novas granjas no sistema convencional de produção e chegará à marca de um milhão de galinhas livres de gaiolas até o final de 2021, alcançando 2.5 milhões até 2025.

Com investimentos que ultrapassam R$100 milhões, o Grupo construiu nova unidade produtora no sistema cage-free no estado de São Paulo, em Cabrália Paulista, além de mais uma em Lorena, que está em fase de construção. A distribuição dos ovos de galinhas livres de gaiolas atenderá inicialmente, os estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Paraná com as linhas de produtos Caipira e Happy Eggs. O grande propósito da empresa ao longo dos anos é a democratização do consumo de ovos de galinhas soltas, para todas as classes sociais.

Fonte: A.I., adaptado pela equipe feed&food.

CONFIRA:

México deve potencializar compra de carne de frango brasileira

Faesp aponta preocupação com juros do Plano Safra

Fique por dentro das principais atualizações do mercado de proteína animal, acompanhe também: www.revistafeedfood.com.br

CARGILL

ABPA e UPF oferecem curso ao mercado suinícola

Polinutri

Polinutri oferta dicas para produção avícola no inverno