Patrocinado
AVICULTURA

Conteúdo

São Paulo confirma primeiro caso de influenza aviária em silvestre

Registro foi oficializado na tarde desta segunda-feira (05), em Ubatuba
feedfood

Através da Coordenadoria de Defesa Agropecuária (CDA), Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo (SAA-SP) registra o primeiro caso de Influenza Aviária de Alta Patogenicidade (H5N1) em ave silvestre. A confirmação ocorreu na tarde desta segunda-feira (05).

Como explica o CDA, a ave, da espécie trinta-réis-real (Thalasseus maximus), foi encontrada em uma rua do município de Ubatuba e todas as medidas de vigilância e fiscalização foram iniciadas na região. “É importante informar que não existem estabelecimentos avícolas comerciais dentro de um raio de dez quilômetros, a partir do ponto onde a ave foi localizada”, destaca a Coordenadoria.

Mesmo com os casos confirmados em silvestres no Rio de Janeiro, Espirito Santo e Rio Grande do Sul, o País continua livre de Influenza Aviária de Alta Patogenicidade em criações comerciais, mantendo o status de região livre da doença, o que possibilita manter as exportações.

Com a confirmação do caso, a equipe técnica da Coordenadoria de Defesa Animal confirma que realizará fiscalizações na região, objetivando a localização de criações de pequena escala – aves de subsistência, revendas de aves vivas, etc, com foco na existência de sintomatologia compatível ou relatos de morte súbitas, além de orientações quanto às medidas de prevenção, conforme prevê o Plano de Contingência de Influenza Aviária de Alta Patogenicidade estabelecido pelo Ministério da Agricultura e Pecuária (MAPA).

“A fiscalização se dará em um raio de 10km do ponto onde a ave foi encontrada e equipes da CDA farão a vigilância clínica a partir de registro e observação. Além disso, contato com órgãos ambientais locais e ações de educação junto a população local estão entre as ações da Secretaria de Agricultura”, complementa a CDA.

Fonte: CDA/SAA-SP, adaptado pela equipe FeedFood.

LEIA TAMBÉM:

Ministérios se unem no combate à Influenza aviária

Especialista fala sobre rotulagem de produtos de pescados

Produção sustentável do pescado: problema ou oportunidade?