Patrocinado
MERCADO

Conteúdo

Safra de grãos deve cair 2,8% em 2024

De acordo com dados do IBGE, o Brasil concluiu o ano de 2023 com colheita recorde
feedfood
Foto: reprodução

Em uma série histórica, o volume inédito de 315,4 milhões de toneladas foi registrado na safra brasileira de grãos. O número conquistado ao final de 2023 representa na comparação com o penúltimo ano um aumento de 19,8%, correspondentes ao acréscimo de 52,2 milhões de toneladas.

Em 2024, logo após o recorde, deve haver uma redução de aproximadamente 2,8% na colheita brasileira de cereais, leguminosas e oleaginosas, para 306,5 milhões de toneladas, com 8,9 milhões a menos que as verificadas anteriormente.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), na comparação com o segundo prognóstico deste ano, a previsão atual é positiva em 0,1%. As safras que devem registrar aumento na produção deste cenário são as seguintes: soja (1,7% ou 2,6 milhões de toneladas); feijão (4,2% ou 123,1 mil toneladas); arroz (1,6% ou 162,2 mil toneladas); e trigo (33,0% ou 2,6 milhões de toneladas).

Foto: reprodução
Safra de grãos deve cair 2,8% em 2024 (Foto: reprodução)

Ainda de acordo com o IBGE, por outro lado, também existe a possibilidade de recuo na produção dos seguintes: milho segunda safra (-12,8% ou -13,2 milhões de toneladas); milho primeira safra (-3,3% ou -924,8 mil toneladas); sorgo (-12,1% ou -519,6 mil toneladas); e algodão herbáceo (-3,3% ou – 254,7 mil toneladas).

Já a estimativa para o avanço na área de produção são para os seguintes: arroz em casca (4,9%); trigo (0,6%); algodão herbáceo em caroço (0,2%); feijão (4,0%) e soja (0,9%). Contudo deve haver retração em: sorgo (-2,3%); milho primeira safra (-5,0%); e milho segunda safra (-4,3%).

Fonte: Globo Rural, adaptado pela equipe FeedFood.

LEIA TAMBÉM:

PIB do agro tem avanço acumulado de 0,5% em 2023

Ações brasileiras são destaque nas Conferências da FAO

Uso de tanino reduz emissão de GEE em 17% na pecuária