Patrocinado
SUINOCULTURA

Conteúdo

República Dominicana abre portas para carne suína brasileira

País é um dos maiores importadores da proteína animal nas Américas
feedfood

O ministro da Agricultura e Pecuária (MAPA), Carlos Fávaro, anunciou na última quarta-feira (09) que a República Dominicana abriu seu mercado para a carne suína produzida no Brasil. 

A República Dominicana é um dos mais relevantes mercados importadores de carne suína das Américas. Anualmente, o país produz 45 mil toneladas de carne suína, mas consome 165 mil toneladas, conforme dados de 2022 do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

Em 2022, a República Dominicana importou 120 mil toneladas do produto, e a projeção para 2023 aponta para compras internacionais de até 130 mil toneladas, conforme projeções do USDA. Cerca de 85% deste volume é proveniente dos Estados Unidos, sendo completado pelo Reino Unido e Canadá. 

De acordo com o Ministério da Agricultura, três plantas brasileiras dos Estados do Acre, Santa Catarina e Rio Grande do Sul foram habilitadas imediatamente a embarcar produtos para o mercado dominicano. Espera-se que novos estabelecimentos gaúchos, catarinenses e também do Paraná sejam habilitados após a conclusão de trâmites pendentes.

“A República Dominicana é um mercado com elevada demanda, que tem enfrentado desafios severos com registro de Peste Suína Africana em seu território, o que tem reduzido nos últimos anos a produção local. Neste sentido, graças ao trabalho realizado pelos Ministérios da Agricultura e das Relações Exteriores, posicionamos o Brasil como parceiro pela segurança alimentar da população dominicana. Esperamos ver os efeitos desta parceria em breve, com embarques de produtos brasileiros para este mercado”, avalia o presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA),  Ricardo Santin. 

Em 2022, a República Dominicana importou 120 mil toneladas do produto (Foto: reprodução)

De acordo com o diretor de Mercados da entidade, Luís Rua, o país caribenho é um importante hub turístico na região em que se localiza e o Brasil já exporta frango há muitos anos para a República Dominicana, o que pode facilitar a rápida concretização de negócios. 

“É o quinto mercado aberto ou ampliado apenas este ano para a proteína suína, o que reforça cada vez mais a posição de destaque do Brasil no suprimento de carne suína em nível global, com o Brasil já sendo aproximadamente 12% de toda carne suína comercializada internacionalmente no mundo”, destaca Rua.

Fonte: ABPA, adaptado pela equipe Feed&Food.

LEIA TAMBÉM:

Estudantes e recém-formados: atitude é fundamental para ingressar na suinocultura 

Segundo dia da Pig Fair é palco de lançamentos e casa cheia

SP: APA seleciona veterinários para Programa de Sanidade