in ,

Produtor deve estar atento ao controle de doenças respiratórias

Ceva destaca tecnologia como amiga da granja quando o foco é melhor sanidade do plantel

CARGILL
Foto: reprodução

O complexo das doenças respiratórias dos suínos (CDRS) é um grande desafio para a suinocultura mundial. As bactérias causadoras da Pneumonia Enzootica Suína (Mycoplasma hyopneumoniae), Pleuropneumonia (Actinobacillus pleuropneumoniae) e o vírus da Influenza podem ser considerados os três principais agentes causadores de prejuízos nas granjas brasileiras. Durante o inverno, especialmente no Sul do Brasil, estes problemas são ainda mais frequentes.

Algumas pesquisas apontam que, no Brasil, mais de 60% dos suínos apresentam lesões pulmonares ao abate. Além dos gastos com antimicrobianos, refugagem e o aumento das condenações no abatedouro, as doenças também afetam a produção acarretando na perda de peso dos animais doentes e na piora na conversão alimentar, impactando de maneira negativa os índices produtivos da granja e o lucro do produtor.

Fatores como o estresse ambiental, responsável por promover queda de imunidade nos animais, e um manejo sanitário deficiente podem facilitar a incidência e proliferação das doenças respiratórias nas granjas de suínos, sendo o controle (por meio de medicações) e a prevenção (através da vacinação) etapas comuns e necessárias no dia a dia das propriedades.

Parceira do produtor e indo muito além da saúde animal, a Ceva Saúde Animal desenvolveu o CLP (Ceva Lung Program), software que avalia de maneira global a saúde pulmonar dos suínos abatidos, informando o produtor de maneira precisa sobre os impactos das doenças respiratórias na granja. Com uma metodologia exclusiva, a ferramenta conta com diretrizes que possibilitam avaliar a presença, incidência e padrões de circulação das principais doenças respiratórias do plantel, por meio da criação de um índice de lesões associadas à pneumonia enzoótica, bem como outro índice associado à pleurisias encontradas ao abate.

Com um robusto banco de dados alimentado por informações do mundo todo, o CLP auxilia na mensuração dos impactos das doenças respiratórias nas granjas e possibilita conhecer o real status sanitário dos rebanhos nacionais, além de fornecer aos produtores possíveis abordagens preventivas mais efetivas contra as principais patologias respiratórias dos suínos.

“O objetivo principal do CLP é ser uma ferramenta estratégica para o produtor. Nós sabemos que a prevenção e o monitoramento dessas afecções respiratórias são muito importantes para toda a cadeia de produção de proteína suína”, explica o gerente de linha Suínos da Ceva, Marcio Dahmer. “Com o CLP a gente auxilia os suinocultores a terem um plantel mais sadio, uma produção mais rentável, e isso faz com que na mesa do consumidor chegue uma proteína de maior qualidade”.

Com base nos dados obtidos ao abate, um protocolo sanitário mais assertivo é elaborado, abrangendo desde o treinamento das equipes de vacinação até o acompanhamento dos lotes durante todas as fases produtivas, visando proteger os animais dos desafios presentes na granja e, por consequência, melhorar os resultados para o produtor. A ferramenta, que tem uma fácil usabilidade, está disponível para Android e IOS em mais de 18 línguas, basta baixar o aplicativo, de forma gratuita, e solicitar o acesso à equipe Ceva Suínos.

Fonte: A.I, adaptado pela equipe feed&food. 

LEIA TAMBÉM:

MAPA aponta dicas para compra de pescados

Agro brasileiro amplia exportações durante mês de março

13⁰ Simpósio Técnico da ACAV anuncia nova data

agpic suinfair 01

Agroceres PIC comemora passagem pela Suinfair

crescimento de exportação de ovos

Exportações da avicultura de postura apresentam queda