in

Probeef Resist viabiliza uso de tecnologia na água

Matheus Capelari é coordenador de Produtos na Cargill

Matheus Capelari é coordenador de Produtos na Cargill

É certo que em um País majoritariamente tropical como o Brasil, a produção de gado a pasto torna o sistema mais competitivo com a produção de carne a um custo mais baixo, principalmente no período das águas. Durante este período os pastos rebrotam e crescem rapidamente, os níveis de nutrientes seguem o mesmo caminho, e o gado agradece com melhora nos índices produtivos. Ainda assim, se algumas condições básicas não forem atendidas, essa realidade pode tomar outro rumo, e a lucratividade do pecuarista ir por água abaixo.

Dentre outros fatores, uma das principais causas de perda do potencial produtivo nas águas é a dificuldade em realizar a correta mineralização dos animais. Problemas com a logística de fornecimento nas fazendas e estruturas de cocho inadequadas resultam em perda de suplemento mineral, e principalmente, reduzem a frequência e o consumo total de suplemento pelos animais, justamente no período de maior potencial produtivo. Vale ressaltar que, independente da categoria animal, a exigência de minerais pelos animais acompanha o nível produtivo, ou seja, nas águas a correta mineralização é essencial para que os animais respondam a esse potencial. Portanto, apesar de outros nutrientes como proteína e energia aumentarem, a correta suplementação mineral dos animais ainda é indispensável nas águas.

Buscando soluções para o pecuarista tirar ainda mais proveito do período das águas, amenizando os problemas inerentes desta estação quando o assunto é suplementação, a Cargill Nutrição Animal lançou em 2017 o primeiro suplemento mineral do mercado resistente às chuvas, o Probeef Resist, e com ele diversos produtores já colecionam bons resultados no campo. Em algumas avaliações feitas em clientes pelo Brasil comparando o Resist a minerais comuns, a primeira vantagem que se nota é a estabilização do consumo do suplemento, já que os animais tem acesso efetivo ao suplemento, que não empedra nem empasta. Para animais na fase de recria os consumos ficam em torno de 100-150g/cabeça/dia enquanto para vacada é de 150-200g/animal/dia. Como consequência, ganhos de peso entre 0.7 – 1 Kg se tornaram factíveis em propriedades com oferta de forragem em qualidade e quantidade.

Após 2 anos do lançamento de Probeef Resist, a linha está ainda mais completa e conta com 4 produtos que levam a exclusiva tecnologia SAWT de revestimento – Superior All Weather Technology, que permite a passagem de água pelo produto sem que o mesmo perca suas características e, se mantendo sempre fresco no cocho, sem empastar nem empedrar. Além dos minerais, o Probeef Resist também possui aditivo melhorador de desempenho, que permite maximizar o uso dos nutrientes das pastagens. Os três principais benefícios para o produtor ao utilizar essa tecnologia de suplementação mineral, são:

1) A garantia de consumo regular de minerais e aditivo melhorador de desempenho pelos animais, entregando incremento nos índices produtivos.

2) Diminuição da perda de minerais por empastamento, empedramento ou lixiviação;

3) Melhora na logística da fazenda, reduzindo a frequência de fornecimento do mineral para 1 vez por semana.

Para as águas de 2019/2020 teremos 2 novas versões para a linha Resist, desenvolvidas pensando no atendimento específico das regiões que historicamente tem baixo consumo de minerais, como o Pantanal e o Pará, por exemplo. Dessa forma, os produtores poderão aproveitar ao máximo o potencial produtivo do gado nas águas, com garantia de correta suplementação mineral, facilidade na logística na fazenda e melhor resultado financeiro.

Fonte: A.I., adaptado pela equipe feed&food. 

Ministra defende papel de mulheres e jovens no agro

Nutrição de precisão na produção de aves