in

Preço base do suíno vivo preocupa suinocultores de SC

ACCS pontua grandes dificuldades para o setor produtivo

REPRODUÇÃO

Após Cooperativa Central Aurora anunciar baixa de R$ 0,10 no preço pago pelo quilo do suíno vivo a partir desta quarta-feira (10), suinocultores de Santa Catarina se preocupam, como aponta Associação Catarinense de Criadores de Suínos (ACCS).

Segundo a ACCS, temor está ligado ao seguinte cenário: “os custos de produção estão elevados em 2021 e contribuem para que os produtores continuem no vermelho com a atividade”.

“Nesta época do ano o normal seria aumentar a remuneração dos suinocultores porque a tendência histórica é de aumento no consumo. Tradicionalmente em outubro os mercados começam a abastecer seus estoques para as festas de final de ano. Mas em 2021 está sendo o contrário. A perda do poder aquisitivo da população é um dos fatores que interfere nesta baixa, já que as pessoas estão com dificuldades para comprar proteína. A exportação de carne bovina para a China ainda está travada e também contribui para a baixa de preços”, conta o presidente da ACCS, Losivanio Luiz de Lorenzi.  

Profissional também destaca que suinocultores não obtiveram lucro com a atividade em 2021. “Mesmo assim acompanhamos o crescimento da suinocultura pelo país com o aumento de plantel incentivado pelas indústrias e cooperativas. Isso é preocupante e podemos dizer que o primeiro semestre de 2022 será de grandes dificuldades para nós suinocultores”.

Para saber mais sobre os pontos levantados pelo presidente, clique aqui.

Fonte: ACCS, adaptado pela equipe feed&food.

LEIA TAMBÉM:

Preços dos ovos apresentam recuo em São Paulo

Médico veterinário alerta sobre mastites

Palestra da JINC aborda carne cultivada

DSM

DSM visa expandir produção de Bovaer®

Alltech fala sobre reduzir emissão de metano