in

PR produz metade da carne de frango exportada à China

Estado teve mais quatro plantas habilidades pelo país asiático

Estado teve mais quatro plantas habilidades pelo país asiático

A produção de carne de frango no Paraná deve ser impulsionada devido à habilitação de mais quatro plantas frigoríficas para a China. Segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), o Estado foi responsável pela exportação de 48% da carne de frango, pelo Brasil, para o país asiático no mês de agosto.

As habilitações são resultado de um trabalho conjunto da avicultura do Paraná, que tem como foco a abertura contínua de mercados para seu produto. No país asiático, são quase 1,5 bilhão de habitantes que demandam alimentos, por isso é um destino importante para o segmento.

No total, o Estado exportou 117,3 mil toneladas de carne de frango no mês de agosto e 1,04 milhão de toneladas no acumulado, segundo o levantamento. Sendo assim, os embarques para a China representaram 15,4% das exportações de agosto e 16,8% das exportações no acumulado do ano.

De acordo com a Secretaria, o Estado foi responsável por aproximadamente 51% das exportações avícolas nacionais para a China no acumulado do ano, até agosto, com 176,5 mil toneladas. O volume representa uma alta de 55,8% em comparação ao mesmo período de 2018, quando 113,2 mil toneladas foram embarcadas.

“As indústrias avícolas paranaenses já possuem estrutura e qualidade para atender a todo o mundo, isso porque já destinam sua produção para 160 países. Sendo assim, a busca por habilitações continuará incluindo outros destinos”, ressalta o presidente do Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado do Paraná (Sindiavipar), Domingos Martins.

Abates. Com o início das exportações das novas habilitações, a expectativa é de aumento nos abates, que no mês de agosto se mantiveram em crescimento no estado como mostram dados do Sindiavipar. Somente no último mês, mais de 168 mil aves foram abatidas, quantidade 7,7% superior ao oitavo mês do ano passado, que totalizou 156 milhões cabeças. Crescimento semelhante foi registrado no total acumulado, com aproximadamente 1,25 bilhão de cabeças abatidas, número 7% superior ao registrado no ano passado (1,17 bilhão de aves).

“Temos uma base forte para conseguir atender a demanda do mercado, com forte presença tecnológica e uma produção de insumos que consegue manter nossa produção em ritmo acelerado durante todo o ano”, complementa Martins.

Fonte: Sindiavipar, adaptado pela equipe feed&food.

Prêmio Alimentação em Foco tem equipes selecionadas

Yes oferece conhecimento de fábrica a jornalistas