in

PIB do agronegócio deve crescer 1,2% em 2021

Levantamento realizado pelo Ipea também aponta alta de 3,4% para 2022

Ao revisar, na quinta-feira (23), o valor adicionado (VA) do setor agropecuário, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) aponta reajuste do PIB Agropecuário para 2021. Em análise, crescimento foi de 1,7% para 1,2%.

Segundo o Ipea, “as reduções nas estimativas de produtividade e produção no milho e um cenário menos favorável para a produção de leite foram os motivos considerados para os ajustes feitos pelos pesquisadores do Grupo de Conjuntura do Ipea”.

“O valor adicionado da produção vegetal em 2021 também foi revisto para baixo: de 1,7% para 1,2%, devido à revisão para a estimativa de produção do milho, que deve apresentar queda de 15,5% – de acordo com levantamento do IBGE”, destaca o Instituto.

Contudo, e apesar disso, Ipea pondera que o resultado para o componente deve ser positivo, sustentado pelas significativas altas nas produções de soja (+10,1%), por exemplo. “Entre as culturas com maior participação no VA deste componente, a soja é a única que apresenta perspectiva de crescimento no ano. As demais culturas de maior importância devem influenciar negativamente para o resultado deste componente por questões climáticas, como o milho (-15,5%)”.

Perante a produção animal, números também foram revistos de 1,8% para 1,2% este ano.  “Apesar do crescimento na produção de aves (+6,8%), suínos (+8,7%) e ovos (+1,4%), a projeção é de queda nos dois produtos com maior participação no valor adicionado: bovinos (-0,9%) e leite (-0,4%)”, destaca o levantamento.

De acordo com o Instituto, entre tais proteínas, a revisão da projeção para o leite foi a principal responsável pela estimativa de crescimento mais baixo para a produção animal, que segundo o pesquisador associado do Ipea e um dos autores da nota, Pedro Garcia, “o aumento do custo de produção é um fator que tem desincentivado a produção de leite”.

“Apesar da leve recuperação no consumo de carne bovina, a alta no preço da proteína e o impacto negativo da pandemia sobre o mercado de trabalho resultaram em um cenário mais desfavorável”, alerta o IPEA.

Números para 2022

Para o próximo ano, estimativa também revista aponta alta de 3,3% para 3,4% no valor adicionado do setor agropecuário, com crescimento de 2,2% na produção animal (ante alta de 1,8% na publicação mais recente) e 3,9% na produção vegetal (mantida desde a previsão anterior).

“Há perspectiva positiva por conta de expectativas de crescimento nas culturas de soja e milho; de recuperação do crescimento da produção de bovinos (após dois anos consecutivos de queda) e de nova alta estimada para a produção de suínos”, destaca o Instituto.

Pesquisadores do Ipea sinalizam que o cenário de riscos da produção agropecuária segue em linha com o que foi divulgado anteriormente – na Nota de Conjuntura nº. 18, de agosto deste ano. “Para 2022, ainda há dúvidas sobre o ciclo climático que prevalecerá na safra, sua intensidade e os efeitos sobre a produção vegetal; mas na produção animal, o cenário é de normalização da oferta de bovinos”.

Fonte: Ipea, adaptado pela equipe ração & ração.

LEIA TAMBÉM:

Dentro e fora da porteira, futuro está na conectividade

Campanha visa estimular consumo de leite

Vendas de ovos apresentam recuo em São Paulo

Suinocultura: como fornecer energia e reduzir custos?

Indicador do boi gordo apresenta recuo em São Paulo