in

PIB Agro 2021 é revisto de 2,2% para 2,6%

No entanto, projeções ainda podem ser impactadas pela crise hídrica

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) divulgou nesta quarta-feira (23) a projeção revisada do PIB agropecuário. Os dados mostram uma perspectiva de alta, passando de 2,2% para 2,6%. A melhora no resultado esperado de itens importantes tanto na produção vegetal como animal levaram ao reajuste.

No entanto, as projeções podem sofrer interferência da crise hídrica, que pode prejudicar mais do que o previsto a produção vegetal, e ao segmento da pecuária de bovinos, que ainda tem incertezas relativas à oferta e à demanda.

Produção animal

Na produção animal, para a qual se espera alta de 2,5% no ano, há projeção de crescimento da produção de todos os segmentos: bovinos (0,9%), suínos (6,8%), aves (6,5%), leite (3,2%) e ovos (2,3%). Apesar de positivo, o desempenho da carne bovina ficou aquém do esperado, porém compensado pela forte alta de suínos e aves.

“A produção de suínos e frangos foi impulsionada pelo aumento do consumo em substituição ao da carne bovina, que permanece com preço elevado e oferta limitada de animais para abate”, explicou Pedro Garcia, um dos autores do estudo e pesquisador associado do Ipea.

Riscos ao setor

O levantamento trata ainda dos principais riscos relacionados ao setor. No caso da produção vegetal, a ocorrência de choques climáticos adversos no Centro-Sul e a possibilidade de adoção de medidas restritivas ao uso da água para a lavoura – em função da necessidade de poupar o recurso para a geração de energia hidroelétrica – pode afetar negativamente as estimativas para alguns produtos.

No que diz respeito à produção animal, o risco continua sendo uma possível frustração na projeção de crescimento da produção de bovinos, que pode ser impactada por uma recuperação na oferta de animais mais lenta do que o projetado.

O levantamento foi realizado com base nas estimativas do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e em projeções próprias para a pecuária a partir de dados das Pesquisas Trimestrais do Abate, Produção de Ovos de Galinha e Leite.

Fonte: Ipea, adaptado pela equipe feed&food.

Conferência FACTA destaca tendências do setor

Ceva conquista selo de “Amiga do bem-estar animal”