in

Pescado de área atingida está apto para consumo

Exames foram realizados pela PUC/RJ a pedido do MAPA

Após mancha de óleo atingir o litoral nordestino, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), solicitou ao Laboratório de Estudos Marinhos e Ambientais da PUC/RJ que exames fossem feitos em amostras do pescado local. Os resultados mostraram que o produto está próprio para o consumo humano.

Exames foram realizados pela PUC/RJ a pedido do MAPA

Após mancha de óleo atingir o litoral nordestino, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), solicitou ao Laboratório de Estudos Marinhos e Ambientais da PUC/RJ que exames fossem feitos em amostras do pescado local. Os resultados mostraram que o produto está próprio para o consumo humano.

Segundo as informações divulgadas pelo MAPA, na tarde de segunda-feria (11), o laboratório analisou os níveis de Hidrocarbonetos Policíclicos Aromáticos (HPA) – indicadores para contaminação por derivados de petróleo. Os resultados revelaram níveis baixos dos HPAs detectados em peixes e lagostas, o que não representa riscos para o consumo humano.

As amostras foram coletadas em estabelecimentos registrados no Serviço de Inspeção Federal (SIF), nos dias 29 e 30 de outubro, nos estados da Bahia, do Ceará, de Pernambuco e do Rio Grande do Norte. Ao todo, 37 compostos de HPAs foram avaliados.

Em nota oficial Ministério ainda disse que amostras para monitoramento da situação de segurança do consumo de pescado continuam sendo colhidas e, conforme a liberação dos resultados das análises, serão divulgados, juntos de recomendações.

Fonte: MAPA, adaptado pela equipe feed&food.

Vetanco reforça equipe com nova contratação

Zarc é atualizado e permite acesso às cultivares