in

Para potencializar atendimento, De Heus migra sistema

Projeto DHnamics foi implementado sem interromper as operações da empresa no País

DE HEUS

Maior produtividade e segurança de dados, mais agilidade dos processos, avanço tecnológico, melhor estabilidade do sistema, escalabilidade e redução de trabalhos manuais são alguns dos benefícios do projeto DHnamics, lançado pela De Heus no Brasil. A iniciativa envolveu uma grande operação da equipe da empresa para a substituição de ERP (Enterprise Resource Planning ou sistema de gestão integrado).

“O novo sistema integrou todas as ferramentas corporativas e facilitou o acesso do colaborador por estar disponível em nuvem”, defendeu o analista de sistemas e gerente de Tecnologia da Informação da De Heus no Brasil, Juliano Veroneze, que completa “Foi um alto investimento, na casa dos milhões, com o objetivo de ampliar a nossa capacidade de atendimento ao cliente para suportar o crescimento acelerado que temos alcançado no país nos últimos anos”.

O contador e gerente de Controladoria da De Heus no Brasil, Thiago Ferreira, que encabeçou este projeto ao lado de Veroneze, destacou que este projeto foi muito além de uma mudança de sistema. “Esta novidade também proporcionou o fortalecimento cultural de todo o nosso time, que se manteve cada vez mais engajado e dedicado durante a revisão e adequação de processos para a implementação do programa”.

Projeto DHnamics

O Brasil encabeçou esta mudança em nível global e em tempo recorde, sem comprometer o andamento da empresa. De acordo com Veroneze, em 10 meses, a equipe brasileira provou conceitos, analisou ferramentas e elegeu a plataforma Microsoft Dynamics 365, que está operando desde o dia 1º de junho. “Foram muitos testes de processos e funcionalidades no sistema, praticamente em tempo integral. Agora, temos uma solução 100% alinhada com as ambições de crescimento da empresa, que integra todos os departamentos e atividades em uma plataforma única”.

Este processo envolveu dois centros de distribuição, um escritório administrativo e seis unidades fabris presentes em cinco estados brasileiros – São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Goiás e Pernambuco. “Agora estamos prontos para atender não só novos estados, como também outros países”, afirma Ferreira. “Fazer a transferência dos sistemas sem parar nossas operações é algo raro, especialmente se considerarmos as complexidades tributárias do Brasil, mas nós conseguimos”, completa Veroneze.

O projeto teve a colaboração de oito power users – usuários chave que exploraram o sistema com mais amplitude, contribuindo inclusive com suporte ao usuário final e operações da empresa. “Foram cerca de 220 horas mensais de cada colaborador, o que representa algo em torno de 18 mil horas de dedicação no projeto, apenas falando dos nossos power users”, salienta Ferreira. A ação também contou com três sponsors, formado por dois diretores da De Heus do Brasil e um diretor global de Tecnologia da Informação, dois gerentes de projeto e mais três pessoas de suporte.

Responsible Feeding

Melhorar processos, gestão, segurança e atendimento foram os principais focos deste trabalho, mas não são os únicos. Toda a migração operacional aconteceu dentro dos preceitos do Responsible Feeding – um amplo programa de sustentabilidade e responsabilidade social da De Heus. “Além de contar com o desafio de realizar toda a operação a distância, devido a pandemia mundial de Covid-19, evoluir de forma responsável faz parte do nosso DNA e, por isso, em cada etapa avaliamos e adotamos todas as medidas possíveis, que vão desde a exclusão do uso de papel até o desenvolvimento e capacitação de nossos colaboradores”, encerrou Veroneze.

Fonte: A.I, adaptado pela equipe feed&food.

CONFIRA:

México deve potencializar compra de carne de frango brasileira

Faesp aponta preocupação com juros do Plano Safra

Fique por dentro das principais atualizações do mercado de proteína animal, acompanhe também: www.revistafeedfood.com.br

Marfrig lança portal para pecuaristas

Sanphar destaca importância da biosseguridade em webinars