Patrocinado
COLUNISTASBOVINOCULTURA

Conteúdo

O valor da informação na “bolsa de valores” do boi

Na coluna da Asbram deste mês, Alcides Torres comenta sobre os ciclos da pecuária
feedfood

Dentre as grandes revoluções do agro brasileiro, Alcides Torres, o Scot, fundador da Scot Consultoria, ressalta três: a vinda dos zebus para o País, a chegada dos capins africanos em nosso pasto e seu melhoramento, e também a suplementação alimentar, que norteou o progresso da pecuária. Agora, ele pontua, existe um outro avanço: o da genética. “A pecuária deste século é completamente diferente daquela no século passado”, diz. 

O que, hoje, ocorre ainda mais intensamente do que há 100 anos é o ciclo. “Quando retenho uma matriz para produzir bezerro, a oferta de boiadas que vão para abate diminui e, assim, a cotação da arroba sobe”, explica e acrescenta: “Com o tempo, o mercado terá mais bezerros, e é o que está acontecendo desde o segundo semestre do ano passado”.

Todo ano, Scot define, o pecuarista é pego “de calça curta”. “Ele não acredita que o mercado vai virar”, reflete. Quando se formou, continua, o ciclo era de dez anos; depois, passou para oito e, atualmente, o produtor vive um ciclo de quatro a seis anos. Mas, por que isso ocorre? “É em razão do advento do uso de tecnologia”, indica. 

E, nestes últimos anos, o fundador da Scot Consultoria acredita que o brasileiro deve dar “graças” aos chineses por impulsionarem uma nova revolução no mercado verde e amarelo. “Na hora em que eles exigiram bovinos de 30 meses, acabou estimulando a produção precoce. Então, nós já tínhamos conhecimento para isso – mas não o estímulo financeiro. Com isso, esse estímulo surgiu”.

Em sua visão, ele conta que a volatilidade é uma característica da pecuária. A arroba do boi, por exemplo, antes, subia ou caía a um real. “De repente, estamos com a arroba subindo dez, quinta, caindo vinte. Virou uma bolsa de valores”, brinca.

E essa é uma forte razão para que o pecuarista vá em busca de informações seguras. “Agora, este é um bom ano para investimento, não há dois anos. Dois anos atrás era a hora de acumular capital para investir agora, na queda de preço”, diz e finaliza: “Temos de ser rápidos na decisão”.

Coluna mensal da Associação Brasileira das Indústrias de Suplementos Minerais (Asbram)

LEIA TAMBÉM:

Abate de bovinos cresce e avicultura bate recorde

Do pequeno ao grande produtor, País se beneficia do Agro

Recorde: safra 2023 pode chegar a 305,4 milhões de toneladas

.