in

Nucleovet reverte parte das inscrições do 13º SBSS em doações

Valor foi destinado para hospitais da região de Chapecó (SC)

Parte do valor pago nas inscrições do 13º Simpósio Brasil Sul de Suinocultura (SBSS) foi revertida pelo Núcleo Oeste de Médicos Veterinários e Zootecnistas (Nucleovet) em doações ao para o Hospital Regional do Oeste (HRO), para o Hospital da Criança Augusta Müller Bohner e para a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Chapecó (SC).

A doação já é tradição de todos os Simpósio promovidos pela Nucleovet. Nesta edição, a comissão organizadora definiu por fazer a doação às três instituições. Cada uma recebeu R$ 5 mil. “Fizemos uma pesquisa entre nossos associados e elas foram as mais votadas. São três entidades que prestam importantes serviços para a comunidade regional, que sempre precisam de auxílio e tiveram maiores dificuldades com a pandemia”, sublinhou o presidente do Nucleovet, Luiz Carlos Giongo.

O ato simbólico de entrega foi realizado nesta semana pelo conselheiro fiscal Denoir Carlos Graciolli e pelo integrante do Conselho Deliberativo Gersson Antonio Schmidt. Participaram o presidente da Associação Hospitalar Lenoir Vargas Ferreira – entidade filantrópica que administra o HRO e o Hospital da Criança – Reinaldo Fernandes Lopes, o diretor do Hospital da Criança Marcos Neres e o presidente da Apae Leandro Ugolini.

Lopes frisou que a diretoria do HRO atua para buscar a autossustentabilidade do Hospital e que iniciativas como a do Nucleovet ajudam nesse caminho e também frente ao cenário de dificuldades causadas pela pandemia. “Sempre surgem novos desafios, mas ficamos felizes porque a sociedade reconhece nosso trabalho e sempre contribui. São pequenas ações que somadas fazem a diferença para a manutenção do Hospital e o atendimento à comunidade”, enfatizou.

Instituições beneficiadas

Com o avanço dos casos de covid-19 neste ano, os leitos de UTI no HRO destinados para esses pacientes foram ampliados de 35 para 112. Porém, no período de maior contaminação, o Hospital chegou a ter 135 pacientes internados em UTI. Além disso, continua o atendimento à população que chega a aproximadamente 1,2 milhão de pessoas, sendo aproximadamente 90% dos atendimentos pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

O Hospital da Criança faz cerca de 200 atendimentos por dia. De acordo com Neres, as doações da comunidade contribuem para aquisição de equipamentos e para a manutenção da instituição. “Muitas vezes são compras que não conseguiríamos fazer com nossos recursos. As doações facilitam, resultando na melhoria da qualidade do atendimento”, grifou. O Hospital completou dez anos em maio passado.

A Apae atende mais de 300 pessoas de todas as idades. Neste ano, voltou com os atendimentos presenciais, tanto os pedagógicos quanto os clínicos. “Nosso custo de manutenção aumentou com a pandemia e doações como essa ajudam para a manutenção da instituição. O auxílio que sempre recebemos da comunidade contribui para que possamos melhorar os atendimentos”, realçou Ugolini.

Fonte: A.I., adaptado pela equipe feed&food.

LEIA TAMBÉM:

ACCS tem sua primeira mulher presidente

Embrapa lança plataforma on-line com foco na aquicultura

MAPA estreita laços com Universidade Federal de Viçosa

Minerva Foods apoia Desafio da Pecuária Responsável