in

Novus aborda qualidade da matéria-prima em evento

Avicultor 2019 ocorre nesta quinta-feira em Belo Horizonte (MG)

Avicultor 2019 ocorre nesta quinta-feira em Belo Horizonte (MG)

A importância do controle da qualidade das matérias-primas para maior bioseguridade das rações e melhores resultados na produção de aves. Este será o tema da palestra da Dra. Sandra Rodrigues, gerente técnica da Novus Int., que ocorrerá no evento Avicultor 2019, amanhã (27 de junho), em Belo Horizonte (MG).

“A qualidade intestinal das aves está diretamente relacionada à ração que, por sua vez, depende da qualidade das matérias-primas. O milho e a soja chegam a corresponder a até 90% da alimentação das aves, por isso, o controle sobre fatores antinutricionais presentes nesses grãos é estratégia fundamental”, argumenta.

Segundo a especialista, os macronutrientes dos grãos, como proteína, aminoácidos, energia e minerais, são normalmente complementados com uma série de outros micronutrientes na formulação das rações para gerar ainda melhor resultado de bioseguridade e da produção avícola.

“Esses macro e micronutrientes são complementares, sendo que as rações devem conter todos os nutrientes necessários aos animais a cada 10 gramas. A qualidade dos macro é indispensável para favorecer um máximo aproveitamento dos micro, inclusive permitindo a adoção de estratégias de redução ou eliminação de antimicrobianos”, comenta.

A redução no uso dos “promotores de crescimento” é outro tema atual e de interesse para os avicultores. Segundo a Dra. Sandra, eliminar ou mesmo reduzir antimicrobianos de uso contínuo na nutrição animal é possível.

“Para isso, é preciso o estabelecimento de pilares bem definidos, quanto a ações de sanidade e melhora na ambiência, bem como a qualidade da matéria-prima e o uso adequado de aditivos em substituição aos promotores”, esclarece.

De fato, a produção animal já utiliza modelos AGP Free (Livres de Antibióticos Promotores de Crescimento) na Europa e nos EUA, que estão se tornando cada vez mais comuns no Brasil. Neste novo modelo de produção, os micronutrientes, como aditivos enzimáticos, minerais orgânicos, aditivos fitogênicos e ácidos orgânicos, se tornam ferramentas fundamentais.

 “Temos uma expressão que se diz ´Segurança do campo a mesa`. Ou seja, a bioseguridade das rações é mandatória para produção de alimentos seguros. O desafio é atender um perfil de consumidores cada vez mais exigentes, associado a demandas restritivas de legislações internacionais, para entregar qualidade superior no produto final sem o uso de recursos que corrigem falhas de controle de qualidade na produção avícola”, finaliza.

Fonte: A.I., adaptado pela equipe feed&food.

Troféu Curuca coloca empreendedorismo sustentável sob os holofotes

Suas definições de pecuária foram atualizadas