in

Ministra afirma que o Brasil tem fertilizantes suficientes até outubro

Devido o conflito envolvendo o País russo, Tereza Cristina busca outros parceiros para negociação

e05d021a 7d16 4a94 9826 06aefc10cd94
Foto: reprodução

Devido ao conflito entre os países da Ucrânia e Rússia, muitas agroindústrias se preocuparam com o cenário de guerra que pode influenciar diretamente o agronegócio brasileiro. Vendo a insegurança de produtores sobre o assunto, a Ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Tereza Cristina, disse nesta quarta-feira (2) que o Brasil tem fertilizantes suficientes para o plantio até outubro e que o governo já trabalha desde o ano passado com alternativas para garantir o suprimento para o setor, no caso de escassez provocada pelo combate.

“A safrinha de milho já está acontecendo, então o que precisava de fertilizantes já está garantido. A safra de verão, que será no final de setembro, outubro, é uma preocupação, mas também temos do setor privado a confirmação de que há um estoque de passagem suficiente para chegar até outubro”, disse Tereza Cristina. 

O Brasil já trabalha na busca de novos parceiros para o caso de diminuir o recebimento de fertilizantes da Rússia e da Bielorrusia. Segundo a ministra, o MAPA tem um grupo de acompanhamento que conversa constantemente com as indústrias, com os produtores, com a parte de logística e de infraestrutura. “Temos que ter tranquilidade neste momento e estudar todos os cenários que podem acontecer”, discorre. 

Além disso, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) estuda alternativas para aumentar a eficiência do plantio com o menor uso de fertilizantes. Também estão sendo trabalhadas estratégias de fomento e financiamento para aumento da produção de bioinsumos, fertilizantes organominerais, nanotecnologia e agricultura digital. “A agricultura brasileira é forte, vai continuar forte, e temos que dar as alternativas para ela continuar trabalhando”, ressaltou a ministra. 

O governo deve lançar nos próximos dias o Plano Nacional de Fertilizantes, elaborado desde o ano passado em parceria com outros ministérios e com a iniciativa privada, para reduzir a dependência do Brasil da importação de fertilizantes. “O Brasil precisa tratar esse assunto como segurança nacional e segurança alimentar. Então, esse Plano, que fizemos lá atrás, há um ano, sem prever nada disso, era que o governo pensava que nós deveríamos ter para que o Brasil, que é uma potência agroalimentar, tivesse um plano de pelo menos 50% a 60% de produção própria dos seus fertilizantes”, disse a ministra sobre o plano que deve ser apresentado ainda este mês.  

Para saber mais, acesse o site do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, clicando aqui

Fonte: MAPA, adaptado pela equipe feed&food.

LEIA TAMBÉM:

Suinocultura deve encerrar ano com bons números

Avicultura se mostra robusta em produção, exportação e consumo

FAESP comemora fim de embargo chinês à carne bovina

Senar/SC oferece treinamento para produtores rurais

granja

Cobb-Vantress investe em ampliação sul-americana