Patrocinado
BOVINOCULTURA

Conteúdo

Minerva Foods recebe melhor avaliação de Bem-Estar Animal 

Desempenho da companhia foi reconhecido na categoria Beef do Rankig Coller Fairr
feedfood
Foto: reprodução

A melhor avaliação nas práticas de Bem-Estar Animal na categoria Beef, do ranking Coller Fairr Protein Producer Index, foi concedido a Minerva Foods, líder em exportação de carne bovina na América do Sul e uma das maiores empresas na produção e comercialização de carne in natura e derivados na região.

Segundo a Gerente de Bem-Estar Animal – LATAM da Minerva Foods, Tâmara Borges, a conquista reafirma o compromisso com a agenda ESG (sigla em inglês para ambiental, social e governança), por meio da implementação de programas sólidos e do alto nível de exigência aplicado nas operações e no relacionamento com os fornecedores.

“Seguimos firmes no propósito de promover as melhores práticas para a sustentabilidade na cadeia pecuária”, destacou Tâmara.

FOTO: REPRODUÇÃO
Minerva Foods recebe melhor avaliação de Bem-Estar Animal (FOTO: REPRODUÇÃO)

O índice criado em 2018, avalia as empresas produtoras de proteínas e derivados, divididos em dez temas os quais estão alinhados com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), sendo classificadas em uma régua de risco ESG, com a finalidade de fornecer dados para apoiar a tomada de decisão de investidores ao redor de todo o mundo.

A empresa brasileira de alimentos obteve um desempenho reconhecível nesta edição, aumentando a pontuação em 48% e figurando na categoria ‘Low Risk’ (baixo risco) de Bem-Estar Animal.

A companhia também conquistou a melhor performance do setor nos indicadores ‘Food Safety’ (segurança alimentar) e ‘Condições de Trabalho’, alcançando a segunda posição no ranking geral, o qual avaliou o total de 60 empresas para a categoria de bem-estar animal.

Fonte: A.I, adaptado pela equipe FeedFood.

LEIA TAMBÉM:

PIB do agro tem avanço acumulado de 0,5% em 2023

Ações brasileiras são destaque nas Conferências da FAO

Uso de tanino reduz emissão de GEE em 17% na pecuária