in

Mercado de produtos de origem animal registra alta

Dados divulgados pelo SIF apontam crescimento do setor em 2020

Dados divulgados pelo SIF apontam crescimento do setor em 2020

Mesmo em meio à pandemia, o mercado internacional para exportação de produtos de origem animal se mostrou em alta. De acordo com os dados apresentados no 9º relatório de atividades do Serviço de Inspeção Federal (SIF), divulgado na última terça-feira (15), ao todo foram abertos 24 novos mercados para exportação apenas de produtos de origem animal para consumo humano e produtos para a alimentação animal.

“Isso demonstra que, mesmo durante a pandemia, o trabalho realizado pelo setor produtivo e pela Secretaria de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) manteve-se forte. A exportação para mais de 180 países demonstra a robustez do serviço oficial brasileiro”, destaca a diretora do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal, Ana Lucia Viana.

Trabalho contínuo. A abertura de mercados exige um trabalho de avaliação realizado pelas autoridades sanitárias dos países importadores ao serviço oficial brasileiro, o que muitas vezes ocorre por meio de missões internacionais que auditam o serviço de inspeção e os estabelecimentos produtores. Além disso são negociados entre as autoridades sanitárias brasileira e dos países importadores modelos de certificados sanitários internacionais contendo os requisitos sanitários exigidos pelos países. 

Durante este ano, as tratativas para que essas missões pudessem ser viabilizadas foram realizadas por meio de videoconferência. No período de julho a novembro, por exemplo, foram avaliados 54 estabelecimentos registrados no Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal para verificar o atendimento de requisitos específicos para habilitação para exportar seus produtos para o mercado chinês. 

Abates. Ainda de acordo com o relatório divulgado pelo SIF, ao todo estão registrados 3.342 estabelecimentos de produtos de origem animal nas áreas de carnes e produtos cárneos, leite e produtos lácteos, mel e produtos apícolas, ovos e pescado e seus produtos derivados. Além de 2.999 estabelecimentos de produtos destinados à alimentação animal. 

No mês de novembro foram realizados 48 turnos adicionais de abate que foram requisitados de forma emergencial pelos abatedouros frigoríficos de aves, bovinos e suínos registrados junto ao SIF. 

Status com a pandemia. Em novembro, não foi registrada nenhuma paralisação de atividades de abatedouros frigoríficos sob inspeção federal por motivos relacionados a ocorrência de Covid-19. 

Fonte: MAPA, adaptado pela equipe feed&food.

Vetanco lança o Pílulas Técnicas

IPPE 2021 acontecerá de modo virtual