in

MAPA debate erradicação da PSC

Apenas as regiões sul, sudeste e centro-oeste são totalmente livres da doença

Apenas as regiões sul, sudeste e centro-oeste são totalmente livres da doença

Entre os dias 06 e 07 de agosto, o Departamento de Saúde Animal (DSA) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) debaterá o plano estratégico para vigilância, controle e erradicação da peste suína clássica na zona não livre do Brasil.

A área é composta pelos Estados de Alagoas, Amapá, Amazonas, Ceará, Maranhão, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Roraima, que serão representados pelas Superintendências Federais de Agricultura e pelos Serviços Veterinários Estaduais.

O encontro abordará ações técnicas a serem implementadas no plano estratégico para controle e erradicação da doença no País. O objetivo do MAPA é lançar um programa de erradicação da doença. Para isso, foi criado grupo de trabalho para sua elaboração.

Atualmente, as regiões sul, sudeste e centro-oeste são livres da doença, além da Bahia e Sergipe, na região nordeste, e Acre, Rondônia, Tocantins e parte do Amazonas na região norte.

Apesar de não ser transmissível aos seres humanos, a doença traz grandes prejuízos econômicos para a suinocultura, já que a contenção de focos inclui a eliminação dos rebanhos diretamente atingidos, além daqueles localizados em áreas próximas à ocorrência.
banner da semana_suinos_reproducao_10Erradicação da peste suína clássica é importante porque há risco de introdução do vírus na zona livre da doença, podendo levar à suspensão do status sanitário (Foto: reprodução)

Umas das medidas que já são aplicadas com o objetivo de conter a doença é o trânsito de suínos da zona não livre para os Estados livres. Para isso, barreiras de fiscalização são montadas nas divisas dos Estados.

Trabalho árduo. Apesar das medidas que já vem sendo tomadas, a Secretaria de Defesa Agropecuária do ministério estima que serão necessários muitos anos para erradicar a PSC do território nacional.

Status atual. Desde outubro de 2018, foram confirmados 1.365 casos de animais com PSC e foram destruídos 3.146 suínos. Foram registrados 64 focos da doença na área não livre, dos quais 62 foram eliminados e dois estão em fase de eliminação.

Entre as regiões afetadas está o Ceará com 48 focos da doença. O Piauí com16 focos. Nos dois Estados os focos foram registrados em animais de criação extensiva, não tecnificada, em criações de subsistência. Os focos correspondem as propriedades envolvidas e os casos aos suínos propriamente ditos.

Fonte: MAPA, adaptado pela equipe feed&food.

Gerente da Vetanco palestra para universitários

SP vacina mais de 95% do rebanho contra brucelose