in

MAPA alerta sobre uso de Antimicrobianos

O uso inadequado ou excessivo de medicamentos aumenta risco de resistência aos antimicrobianos

Reprodução

De maneira a conscientizar sobre o uso de Antimicrobianos, o slogan ‘Antimicrobianos: Manuseie com Cuidado, detenha a resistência’, a Aliança Tripartite – Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) e Organização Mundial de Saúde (OMS) – promove, de 18 a 24 de novembro, a Semana Mundial de Conscientização sobre o Uso de Antimicrobianos (WAAW 2021 – sigla em inglês). 

A disseminação da resistência aos antimicrobianos (AMR) – quando microrganismos, como as bactérias, por exemplo, se tornam resistentes aos medicamentos de tratamento – é um problema mundial com reflexos na saúde humana e animal. 

Todos os anos no mês de novembro, a campanha visa sensibilizar, no contexto da Saúde Única a conscientização global sobre a resistência aos antimicrobianos e incentivar as melhores práticas entre o público em geral, estudantes, trabalhadores da saúde e formuladores de políticas para evitar o surgimento e a disseminação da AMR. 

O diretor do Departamento de Saúde Animal, Geraldo Moraes, explica que, “os antimicrobianos são medicamentos utilizados no tratamento de infecções, principalmente as de origem bacteriana, e são essenciais para a preservação da saúde  humana e animal, bem como do bem-estar animal. Para preservar a eficácia desses valiosos medicamentos é fundamental que seja garantido o seu uso responsável e prudente”.

Programação

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) participa da campanha desde 2015. Entre as ações realizadas durante a semana de 2021, no dia 22/11, o Mapa realizará, em parceria com a Aliança e o Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (Panaftosa), o evento virtual: “A Força-Tarefa do Codex Alimentarius para Resistência aos Antimicrobianos terminou. E agora?”, com transmissão pelo Youtube.

Serão realizados nos dias 23 e 24/11 outro evento virtual em conjunto com o  Ministério da Saúde, Anvisa e Organização Panamericana de Saúde (OPAS/OMS), a partir das 15h. 

A programação completa da Semana Mundial de Conscientização sobre o Uso de Antimicrobianos e links para acesso os eventos estão disponíveis clicando aqui.

A fim de conscientizar sobre os perigos, algumas atividades para estimular o uso racional de antimicrobianos em animais estão previstas no Plano de Ação Nacional para Prevenção e Controle da Resistência aos Antimicrobianos no âmbito da Agropecuária (PAN-BR AGRO), publicado em 2018 pelo Ministério da Agricultura. O uso inadequado ou excessivo de medicamentos aumenta o risco de resistência aos antimicrobianos e, em todo o mundo, pessoas, plantas e animais estão morrendo de infecções que não podem ser tratadas, mesmo com os mais poderosos antimicrobianos.  

Resistência aos antimicrobianos 

Um dos maiores desafios para a saúde pública é a resistência aos antimicrobianos (AMR), causando grande impacto na saúde humana e animal. Estima-se que se nada for feito para reverter essa situação, a AMR em 2050 será responsável por 10 milhões de mortes anuais em humanos, tornando-se mais letal até mesmo do que o câncer. 

Além de mortes de humanos e animais, há também prejuízos econômicos causados pela AMR, pela redução na produtividade e pelo aumento de custo de internações e tratamentos, entre outros. Segundo dados da FAO, US$ 1,2 trilhão de gastos adicionais com saúde por ano é esperado até 2050 devido ao aumento da resistência aos antimicrobianos. E, dentre as principais causas para o aumento da AMR, pode-se destacar o mau uso de medicamentos antimicrobianos veterinários e humanos. 

Programa de Vigilância da Resistência aos Antimicrobianos 

Em março de 2021, o Mapa implementou o Programa de Vigilância e Monitoramento da Resistência aos Antimicrobianos no Âmbito da Agropecuária  com objetivo de avaliar riscos, tendências e padrões na ocorrência e disseminação da AMR por meio de alimentos de origem animal produzidos no Brasil, bem como prover dados essenciais para análises de risco relevantes à saúde animal e humana. 

As informações geradas a partir do programa irão embasar as tomadas de decisões, o estabelecimento de políticas públicas e a alocação apropriada de recursos nas ações de prevenção e contenção da AMR na cadeia de produção de alimentos. 

Saiba mais no site neste link.

Fonte: MAPA, adaptado pela equipe feed&food.

LEIA TAMBÉM:

Preços dos ovos apresentam recuo em São Paulo

Médico veterinário alerta sobre mastites

Palestra da JINC aborda carne cultivada

ExpoDubai: alianças são feitas entre empresas

Evento online abordará riscos climáticos