Patrocinado
AQUICULTURA

Conteúdo

Luís Gustavo Cardoso deve assumir secretaria no Ministério da Pesca e Aquicultura

Professor da FUG atuará na área de Registro, Monitoramento e Pesquisa
feedfood

Oceanólogo com doutorado em Oceanografia biológica pela Universidade Federal do Rio Grande (FURG), Luís Gustavo Cardoso é o  novo secretário Nacional de Registro, Monitoramento e Pesquisa do Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA). 

Professor adjunto do Instituto de Oceanografia, com passagens pela coordenação do Programa de Pós-graduação em Oceanografia Biológica da FURG (2017-2019), o docente é membro da rede mundial de pesquisadores FISHPATH; e membro da delegação brasileira na International Commission for the Conservation of Atlantic Tunas (ICCAT). 

Ainda na universidade, é diretor do Laboratório de Dinâmica Populacional Pesqueira; além de desenvolver pesquisas e orientações aos alunos de mestrado e doutorado em dinâmica populacional, avaliação de estoques e impactos ecossistêmicos das pescarias.

A FURG recebeu o pedido de cessão formal do Governo Federal para que ele assumisse o cargo.  “Recebemos a notícia com muito orgulho e felicidade, ciente do trabalho de altíssima qualidade e relevância realizado pelo docente ao longo de sua trajetória acadêmica e profissional”, comentou o reitor, Danilo Giroldo.

A oficialização de Luís Gustavo como novo Secretário Nacional de Registro, Monitoramento e Pesquisa deve acontecer ainda em abril, após a tramitação regular e oficial de toda documentação necessária, seguindo os ritos legais que regulamentam o processo de nomeação para o cargo.

Luís Gustavo deve assumir função ainda em abril (Foto: reprodução)

Na pasta nacional, o professor terá a tarefa de formular e implementar políticas cruciais para o registro e o monitoramento das atividades de pesca e aquicultura no Brasil. “Esta atuação na Sermop será fundamental para estruturar políticas contínuas de coleta e monitoramento das atividades pesqueiras e aquícolas, visando garantir o uso sustentável dos recursos naturais e a preservação do meio ambiente, em estreita colaboração com as demais secretarias do ministério”, declarou Luís Gustavo.

Entre os desafios que se apresentam, estão a modernização e agilização do sistema de controle de licenças, permissões e autorizações para o exercício da aquicultura e pesca, além da promoção de pesquisas voltadas para assessorar a gestão e o uso sustentável desses recursos, baseadas no conhecimento científico e das comunidades pesqueiras tradicionais.

A secretária antecessora do docente também é egressa da FUG, tendo concluído seu mestrado junto à universidade.

“Assumirei com o enorme desafio de manter o impressionante trabalho estruturante desenvolvido até aqui por toda equipe, sob a liderança da colega Flávia Fredou. Estou comprometido e empolgado em colaborar com a excelência que vem sendo desenvolvida pelo Ministério da Pesca e Aquicultura”  

Luís Gustavo Cardoso

De acordo com o reitor, Luís Gustavo é um grande aporte aos quadros do MPA, uma vez que possui alta capacidade de articulação entre os diferentes atores envolvidos no cenário da pesca nacional, “o professor possui a qualidade de mediar este que é um setor complexo, articulando tudo aquilo que é produzido na academia, por meio de dados científicos, com a realidade dos pescadores artesanais e industriais, o setor industrial e assim por diante”, aponta e completa Giroldo: “Ficamos extremamente felizes em poder dar essa contribuição de altíssimo impacto ao país”.

Natural do município de Estrela, situado no interior do Rio Grande do Sul, Luís Gustavo esteve à frente do projeto Tubarão-azul,desempenhando um papel fundamental ao garantir a continuidade das atividades pesqueiras de espinhel pelágico no Rio Grande do Sul, mediante um rigoroso monitoramento. Os resultados obtidos não apenas permitiram a manutenção da atividade, mas também forneceram dados valiosos para a avaliação do risco de extinção da espécie em nível nacional e a análise do estoque em âmbito internacional.

O professor é uma figura ativa em fóruns de gestão tanto nacional quanto internacional. Tratando-se do Brasil, é destacada sua participação nos Grupos Técnico-científicos de apoio aos Comitês Permanentes de Gestão de Atuns e Afins, bem como de Demersais Sudeste e Sul. Internacionalmente, desempenha um papel consultivo importante junto ao governo brasileiro em questões relacionadas às pescarias pelágicas de atuns e grandes tubarões junto à Comissão Internacional para a Conservação dos Atuns e Afins no Atlântico (ICCAT).

Dentro desta comissão, Luís Gustavo liderou iniciativas de treinamento para pesquisadores em modelos de avaliação de estoques em situações de dados limitados, demonstrando seu compromisso com a capacitação e aprimoramento contínuo na área da gestão pesqueira.

Adicionalmente, Luís Gustavo integra a rede internacional de pesquisadores “Fishpath”, dedicada ao desenvolvimento de ferramentas e estratégias para melhorar a gestão de pescarias em situações de capacidade e dados limitados, evidenciando seu engajamento global na promoção da sustentabilidade dos recursos pesqueiros.

Fonte: FURG, adaptado pela equipe FeedFood.

LEIA TAMBÉM:

16 estados e o Distrito Federal são declarados livres da febre aftosa

Preço do suíno permanece estável após ajustes de 2023

Primeiro transplante de rim suíno em paciente humano é concluído