in

Levantamento vai mapear startups do agronegócio

Intenção é identificar estruturas para fomentar o desenvolvimento no Brasil

Intenção é identificar estruturas para fomentar o desenvolvimento no Brasil

O Sistema CNA/Senar/ICNA vai realizar um mapeamento das startups existentes em todo o País voltadas para o agronegócio. As equipes passaram por dois dias de evento preparatório antes de começar as atividades nesta quarta-feira (06).

O primeiro passo foi nivelar a equipe técnica das Administrações Regionais do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e das Federações de Agricultura e Pecuária da Bahia, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Rondônia.

Os representantes desses cinco Estados, onde serão feitos os primeiros levantamentos, conheceram a metodologia de trabalho em workshop realizado na sede do Sistema CNA, em Brasília.

“Estamos começando o mapeamento do ecossistema de inovação das startups e o workshop servirá para nivelar as equipes para entenderem como funciona a metodologia e como será o trabalho realizado em cada estado”, explica o coordenador de Inovação da Diretoria de Conhecimento e Inovação do Senar, Paulo Araújo.

cna-reuniao startups-divulgacao

Conforme apontado em reunião, cada Estado representa uma região do Brasil. A intenção é conhecer o grau de maturidade das agtechs e, posteriormente, ampliar para o resto do País, trazendo a metodologia de mapeamento para o Instituto CNA (Foto: divulgação)

“Queremos identificar a estrutura das startups no País para fomentar o desenvolvimento de tecnologia em cada região onde há ecossistemas favoráveis”, ressalta o coordenador técnico do ICNA, Carlos Frederico Dias.

A programação do workshop englobou temas como fundamentos e estrutura de ecossistemas e mapeamento, análise das agtechs brasileiras, pensamento ecossistêmico, cultura, financiamento, parcerias, metas, identificação de riscos, papéis, responsabilidades e prioridades para o desenvolvimento.

Segundo o vice-presidente da Federação de Agricultura e Pecuária do Estado da Bahia (FAEB), Guilherme Moura, o Estado já deu o primeiro passo promovendo um Hackathon em Juazeiro, mas a intenção é aprofundar o mapeamento: “Nosso objetivo agora é fazer um diagnóstico exato do ecossistema no estado e a partir daí definir uma estratégia assertiva para o desenvolvimento de startups. Entendemos que o fomento de startups e a transformação digital é a próxima revolução do segmento agropecuário.”

“Estamos começando. Ainda não existe nenhuma startup no estado, mas o conhecimento adquirido no workshop é importante para somar os demais projetos que existem no estado como a Assistência Técnica e Gerencial”, complementa o supervisor de campo do Senar Rondônia, Kennio Freire Pessoa.

O evento também contou com a participação das unidades estaduais do Sebrae. Débora Chagas, coordenadora de TI e Startups do Sebrae Rio Grande do Sul, afirmou que o Estado já possui em torno de 20 startups voltadas para o setor agropecuário devido principalmente à demanda do produtor rural. “O mapeamento vai nos ajudar a posicionar o estado como forte e colocar mais ação em cima disso porque trabalhamos algumas startups, mas não o ecossistema como um todo”, fala.

O workshop foi ministrado pelos consultores Valto Loikkanen e Óscar Ramírez, da Startup Commons, especializada em treinamentos de inovação e consultoria de desenvolvimento de ecossistema. A empresa é sediada na Finlândia e tem escritórios nos Estados Unidos, Hong Kong e Estônia.

“Estamos discutindo ideias para esse projeto com o Sistema CNA/Senar/ICNA para mapear o sistema de inovação de agtechs no Brasil e este é o ponto de partida para entender o que acontece em diferentes níveis no País, descobrir o que atende o setor e então planejar o que pode ser feito” destacou Óscar Ramíres, CEO da Startup Commons.

Fonte: CNA, adaptado pela equipe feed&food.

Oportunidades do SIAVS serão divulgadas na IPPE

ADM conclui aquisição da Neovia