in

Kemin destaca tecnologia para saúde intestinal de suínos

Empresa foca nas alternativas ao uso dos promotores de crescimento

Empresa foca nas alternativas ao uso dos promotores de crescimento

Uma estratégia nutricional para minimizar o impacto produtivo do uso cada vez mais restrito de antimicrobianos na suinocultura será apresentada pela Kemin na próxima semana durante o 12o Simpósio Brasil Sul de Suinocultura, que vai acontecer de 6 a 8 de agosto, em Chapecó, Santa Catarina.

Menor prevalência de animais positivos para salmonela no abate, redução do uso de antibióticos para controle de diarreias e alternativa à substituição do óxido de zinco nas rações pós-desmame são alguns dos principais benefícios da mais recente tecnologia para a produção de carne suína, defende a médica veterinária gerente de produtos para monogástricos da Kemin na América do Sul, Cherlla Romeiro. 

De acordo com ela, pesquisas realizadas em países da União Europeia comprovaram a eficiência do uso de ácidos orgânicos associados aos óleos essenciais no controle de algumas das bactérias enteropatogênicas mais prevalentes na suinocultura, como Salmonella spp e E.coli.

“Este tema é especialmente importante porque desafia não só o produtor, como também a agroindústria. As diarreias no período pós-desmame causam mortalidade e forte perda de desempenho, impactando diretamente a rentabilidade. Para a agroindústria, o grande desafio é o controle de salmonela visando o consumidor final, incluindo o mercado externo, que também demanda cada vez mais o uso mais restrito de antimicrobianos”. Outras informações a respeito de estratégias nutricionais para uma boa saúde intestinal estão disponíveis no portal da Kemin.

Fonte: A.I., adaptado pela equipe feed&food.

Exportação de carne suína cresce 24,1% em julho

De Heus destaca tecnologias na Agroleite