in

Kemin apresenta novo Gerente de Serviços Técnicos

Quem assume o cargo voltado para bovinos de corte é o médico-veterinário Matheus Capelari

O médico-veterinário Matheus Capelari assume a gerência de Serviços Técnicos para Gado de Corte da Kemin na América do Sul. PhD em Ciência Animal pela Michigan State University, ele tem experiência nas áreas técnica e de produtos para ruminantes, e será responsável pela orientação técnica da equipe de vendas da empresa e pela assistência técnica aos clientes. “Ele fará a conexão entre o departamento de pesquisa, mais ligado a ciência, equipe de vendas e os clientes”, explicou o gerente Nacional de Vendas para Ruminantes da Kemin na América do Sul, Raoni Margotto.

O executivo destaca que a contratação faz parte de um processo de ampliação da equipe de serviços técnicos. “Esta expansão faz parte da nossa estratégia de crescimento em nossa estrutura técnica, buscando aumentar a nossa capacidade de atendimento ao mercado”, pontuou. Capelari assume a posição com o desafio de contribuir com a expansão da empresa no mercado de ruminantes.

“Nós, da Kemin, acreditamos muito no mercado brasileiro, e tenho acompanhado o crescimento da empresa ano a ano neste mercado. Por isso é um desafio muito bom, especialmente neste momento de aceleração da intensificação da pecuária de corte. Estou feliz por compor uma equipe que oferece ao pecuarista soluções que vão ao encontro dos seus principais desafios”, disse o especialista.

Desafios

Capelari destaca que o atual momento de pressão de custos traz, para o pecuarista, a necessidade de ampliar o uso de tecnologias. “O que temos acompanhado na pecuária de dois a três anos para cá é algo que veio para mudar o setor. O valor pago na cotação da arroba continua firme em níveis históricos, mas os custos também subiram de forma proporcional, o que eleva a exigência de profissionalismo na atividade, e por consequência o uso de tecnologias que venham a somar”.

Margotto defende que eficiência produtiva e de gestão nunca foram tão importantes para a pecuária. “Os custos de produção nunca estiveram em patamares tão elevados. E devem permanecer assim no médio prazo. Por isso, eficiência e gestão são questões que implicam na permanência ou não na atividade. Assim, acreditamos que podemos contribuir muito neste cenário com soluções que ajudam a melhorar a eficiência produtiva nos rebanhos. Enfim, o momento é de investir em tecnologias e aditivos que são comprovados cientificamente e que possam contribuir com melhores desempenhos, eficiência e rentabilidade aos pecuaristas”.

Fonte: A.I.

CONFIRA:

México deve potencializar compra de carne de frango brasileira

Faesp aponta preocupação com juros do Plano Safra

Fique por dentro das principais atualizações do mercado de proteína animal, acompanhe também: www.revistafeedfood.com.br

Presidente da Anffa Sindical fala dos impactos do PL do Autocontrole

BOVINOCULTURA

Primeiro semestre é marcado pela robustez da arroba bovina