Pesquisar
Close this search box.
Patrocinado
BOVINOCULTURA

Conteúdo

Inteligência Artificial dá vantagem competitiva ao produtor

Para tecnologias serem aplicadas em larga escala, desafios devem ser superados
feedfood
Aerial view of corral full of cattle

Por meio da Inteligência Artificial (IA), produtores podem monitorar a saúde e o comportamento do gado, incluindo a detecção de doenças, problemas de reprodução e estresse. Isso é feito através de sensores, como coleiras inteligentes e câmeras, que coletam dados sobre o comportamento do animal. Além disso, pode contribuir para oferecer uma alimentação mais precisa, com base em suas necessidades individuais.

Esse tipo de tecnologia tem impactado significativamente a atividade pecuária, trazendo diversas inovações e benefícios. Embora a prática seja relativamente nova, a tendência de crescimento é alta, impulsionada pelo aumento da demanda por produtos de origem animal de alta qualidade e sustentáveis – é o que acredita o CEO da MadeinWeb, provedora de TI e transformação digital, Vinicius Gallafrio.

Ele conta que a adoção de IA no setor é mais comum em países desenvolvidos, onde há mais recursos disponíveis para investimentos em tecnologia. “Porém, mesmo em países em desenvolvimento, os produtores de gado estão começando a entender o potencial da IA para melhorar a eficiência e a produtividade da atividade pecuária. Aos poucos, percebemos a tecnologia fazendo parte das dinâmicas da fazenda”, explica.

Cattle Herd
Produtores de gado que adotam essas tecnologias podem ter uma vantagem competitiva no mercado (Foto: reprodução)

“De maneira geral, Vinicius destaca que a IA pode analisar grandes quantidades de dados relacionados à produção de gado, como nutrição, reprodução, saúde e desempenho. Com isso, é possível identificar padrões e tendências que ajudam a otimizar a produção.Grande exemplo disso é em relação à melhoria da genética. 

“Os produtores podem identificar os animais com as melhores características para a reprodução, por meio da análise de dados genéticos e do uso de algoritmos de aprendizado de máquina”, explicou Vinícius. 

E um dos aportes tecnológicos que impactam a pecuária é a Internet das coisas (IoT), que permite aos produtores de gado coletar dados em tempo real sobre a saúde e o comportamento dos animais, por meio de sensores inteligentes e dispositivos conectados. Isso permite um monitoramento mais preciso e eficiente, facilitando a detecção de problemas e melhorando a tomada de decisão.

Já a robótica tem um papel importante, pois permite a automação de tarefas repetitivas e perigosas, como a limpeza dos estábulos e o transporte de alimentos, reduzindo tempo e o custo da mão de obra, além de melhorar a segurança dos trabalhadores.

Por fim, o blockchain, tecnologia que permite a criação de registros digitais seguros e descentralizados, permite a rastreabilidade do produto final, garantindo a segurança alimentar e aumentando a confiança do consumidor.

“No entanto, a tendência é que a adoção de IA na pecuária continue a crescer nos próximos anos, à medida que a tecnologia se torne mais acessível e a conscientização sobre seus benefícios se espalhe. Os produtores de gado que adotam essas tecnologias podem ter uma vantagem competitiva no mercado, oferecendo produtos de alta qualidade e mais sustentáveis”, concluiu Vinícius. 

Fonte: AI, adaptado pela equipe FeedFood.

LEIA TAMBÉM:

Exportações de carne suína atingem marco histórico em agosto

Nordeste sai na frente e deve produzir mais soja que a Índia

Grupo transforma couro de tilápia em roupas e acessórios

Patrocinado
Patrocinado