in

Inovar de forma funcional é um dos motes da Imeve

Companhia nacional aposta na produção completa de suas soluções

Companhia nacional aposta na produção completa de suas soluções

Gabriela Salazar, da redação

[email protected]

Inovação e tecnologia são duas palavras muito utilizadas quando o assunto é produção de proteína animal, afinal, com uma demanda cada vez mais crescente é preciso desenvolver técnicas para elevar a capacidade de cada propriedade. Mas, para além do trabalho técnico, existe a aplicabilidade nas granjas e para isso, se destaca quem sabe exatamente o que a outra ponta do setor precisa.

Focando nessa proximidade com o cliente, a Imeve, empresa nacional, faz questão de estar nos mais importantes eventos ligados à cadeia produtiva de proteína animal, como forma de otimizar o seu relacionamento com clientes e absorver as demandas atuais do mercado com quem está diariamente na granja: o produtor.

O diferencial desta atitude está no resultado de seus produtos, como pontua o gerente Nacional de Vendas, Wellington Rossito, durante a participação da empresa na 12ª edição do Simpósio Brasil Sul de Suinocultura (SBSS): “A construção de um produto inovador envolve estar presente no mercado, escutando as necessidades do produtor, para desenvolver um produto com uma eficácia maior”.

Outro relacionamento fundamental para o desenvolvimento das soluções da companhia é o da produção com a ciência. Quesito que faz parte dos pilares da empresa, que possui entre os fundadores professores da Universidade Estadual de São Paulo (Unesp). “Nós temos as duas pontas, o consumidor final e a faculdade juntas para tentar trazer inovação para o mercado”, enfatiza Rossito.

O conhecimento técnico junto à demanda assertiva garante o desenvolvimento de produtos completos, que agregam valor e trazem, de fato, o que produtor necessita: retorno ao investimento. A proximidade com cliente mostra que mais do que técnica é preciso ter funcionalidade.

“Muitas vezes o produto ainda é visto como um custo, então isso é um exercício da nossa equipe mostrar que esse produto é um investimento”, salienta o gerente Nacional de Vendas. Rossito, ainda comenta a dificuldade de se introduzir novos conceitos no mercado, principalmente, quando se trata de probióticos. Para ele, é mais fácil trabalhar um produto especifico. Neste caso, a empresa aposta na apresentação do investimento e retorno.

Real necessidade do mercado. A aposta da empresa em trabalhar com probióticos vem de encontro com a necessidade do setor.  Para isso, a Imeve trabalha com produtos específicos na área de biotecnologia. Essas soluções são aditivos probióticos que atendem uma demanda do mercado mundial, que é o uso racional de antibióticos, principalmente de produtores de crescimento.

“Esse tipo de produto que nós trabalhamos vem substituir sem deixar perder os resultados. É uma ferramenta que otimiza o processo. A Imeve é pioneira na pesquisa e desenvolvimento de probióticos, elas são bactérias benéficas a nível intestinal, que melhora digestão, absorção e melhora de produtividade”, explica o gerente técnico de Vendas, Renato Giacometti.

Alta produtividade com segurança. A Imeve é a única empresa hoje que tem a tecnologia do isolamento e da multiplicação da bactéria da espécie em questão. A empresa aposta no desenvolvimento de bactérias especificas para cada animal, o que garante um resultado diferenciado em relação aos demais produtos oferecidos no mercado.

Para resultados ainda melhores, a companhia não deixa de ressaltar, como pontua Renato Giacometti, as questões de manejo, também fundamentais para a obtenção de melhores resultados. “Não podemos esquecer de trabalhar sanidade e nutrição. O probiótico é uma ferramenta para otimizar o processo, como o próprio antibiótico. O produto sendo bem usado, dentro de um conjunto de fatores, traz ganhos ainda maiores”, enfatiza.

Biomin comemora balanço positivo do SBSS

IOB realiza ação em feira livre