Patrocinado
MERCADO

Conteúdo

Indicador do preço de milho subiu 6% na parcial de março

feedfood

O cenário comercial para o milho tem sido de grande altos e baixos, no entanto, após o conflito entre Rússia e Ucrânia, as demandas internas e externas avançaram, refletindo nas cotações do produto que, até o momento, está em constante crescente. 

O Indicador ESALQ/BM&FBovespa (Campinas – SP), apresentou o aumento de 5,52% entre os dias 4 e 11 de março, fechando a  R$103,57/saca de 60 kg na sexta-feira (11.) Na parcial de março, referente a 25 de fevereiro a 11 de março, o avanço no valor foi de 6,4%

Diante desse cenário, pesquisadores do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) afirmam que consumidores brasileiros vão precisar adquirir novos lotes do produto, entretanto, compradores encontram retração de vendedores além de altos patamares de preços praticados no spot.

Segundo pesquisadores, “agora, demandantes estão ainda mais apreensivos, tendo em vista que a nova valorização dos combustíveis deve encarecer o frete e, consequentemente, os custos”, fazendo com que os preços disparem outra vez.

Em relação à demanda internacional pelo milho brasileiro, se intensificou após o prolongamento da guerra. O cereal sul-americano tem sido bastante procurado.

Fonte: Cepea, adaptado pela equipe feed&food.

LEIA TAMBÉM:

Conflito em leste europeu impacta setor suinícola brasileiro

Período de vacinação contra febre aftosa começa em maio

Ceva alerta produtores sobre Pleuropneumonia Suína

Patrocinado
Patrocinado